Passando um dia na emocionante Hiroshima (Japão)

Olá, pessoal!

Continuando os relatos do meu “rolê” pelo Japão (maio de 2018), chegou a vez de falar sobre Hiroshima, cidade que ficou mundialmente famosa por ter sido destruída, em 1945, por uma bomba atômica lançada por militares do exército norte-americano durante a Segunda Guerra Mundial. A cidade se reergueu, mas fez questão de evidenciar as marcas e memórias da tragédia.

Fizemos um “bate e volta” desde Kyoto, onde estávamos hospedadas, para Hiroshima utilizando nosso JR Pass. Pegamos o primeiro trem que sai da Estação de Kyoto (JR Hikari às 7:36) e, após quase 1h30min, chegamos à Estação de Hiroshima.

Fomos direto para o centro de informações turísticas, onde peguei um mapa, os horários dos trens de volta para Kyoto e informações de como chegar às atrações turísticas. Fiquei mega feliz em saber que o JR Pass garante o trem e o ferry de Miyajima e o ônibus que leva para as atrações de Hiroshima.

Como queríamos visitar o Templo Itsukushima rodeado por água, tínhamos que ir na maré cheia, que, naquele dia, era pela manhã . Por isso, pegamos um trem para Miyajima Matsudai Kisen Ferry Terminal (30 minutos), de onde partimos em uma balsa (15min) para a ilha de Miyajima (Miyajima Ferry Terminal), onde fica o templo, mais especificamente no município da Hatsukaichi, integrante da província de Hiroshima. Tanto o trem, quanto os ônibus são bastante frequentes. No Centro de informações turísticas eles dão a tabela com os horários.

Miyajima Matsudai Kisen Ferry Terminal
Ferry para a ilha de Miyajima
Chegando à ilha de Miyajima

Do ferry, quando vamos nos aproximando da ilha, já podemos visualizar seu principal cartão postal: o Torii (portal típico japonês). Na maré alta ele parece flutuar.

Torii na ilha de Miyajima
Torii na ilha de Miyajima
Canoa de turistas chegando ao Torii na ilha de Miyajima

O Templo Itsukushima é bem perto do terminal do ferry, por isso fomos caminhando pela orla, seguindo o fluxo dos turistas. Não tem erro!

Orla da ilha de Miyajima
Caminho para o Santuário Itsukushima

É uma caminhada bem agradável e, ao longo dela, é possível encontrar diversos veados pelo caminho. Não podíamos deixar de parar para tirar umas fotinhas!

Veados no caminho
Quem não estiver com disposição para caminhar, pode contratar uma charrete. Os carregadores são uma atração a parte na ilha! São bastante animados!
Carregador de charrete

Depois de alguns minutos de caminhada, chegamos ao Templo Itsukushima, Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1996. A maré ainda estava alta, mas já estava baixando, por isso, tivemos a oportunidade de ver o templo nas duas situações.

Santuário Itsukushima rodeado por água
Santuário Itsukushima
Santuário Itsukushima com a maré seca

A entrada no templo custou 300 yenes. Como não tínhamos muito tempo, pois o último trem de volta para Kyoto saía às 17:22 não pudemos aproveitar mais a ilha, que tem outras atrações, como o Parque dos Veados e Santuário Toyokuni com seu “pagode” de cinco andares.

Pagode de Cinco Andares do Santuário Toyokuni

Na volta para o Terminal, passeamos rapidinho pelas lojinhas.

Lojinhas em Miyajima

Após o passeio pela ilha, pegamos o ferry de volta e fomos para a estação de trem, onde pegamos o ônibus turístico da JR e descemos na parada do Museu Memorial da Paz.

Museu Memorial da Paz
Entrada do Museu Memorial da Paz

A entrada custa 200 Yens (100Y para idosos) e vale muito a pena, pois você vê detalhes sobre a tragédia causada pela bomba atômica de 1945. É emocionante! Têm vídeos com depoimentos de sobreviventes, painéis contando como tudo aconteceu, objetos que “sobreviveram” à bomba, maquete virtual mostrando o antes e o depois da bomba, dentre outras formas bem didáticas e impactantes de relatar os detalhes da tragédia.

Foto mostrando Hiroshima em ruínas
Triciclo atingido pela bomba

Só não demos muita sorte, pois o museu estava lotado de crianças em uma excursão de colégio, por isso não conseguimos aproveitá-lo como queríamos. Mas conseguimos ter uma visão geral do ocorrido.

Museu Memorial da Paz lotado de crianças

Bem pertinho do museu tem o Parque Memorial da Paz, com vários monumentos para homenagear os mortos e lembrar da tragédia, um deles é o Memorial das Crianças, com diversos pássaros de origami (longevidade) e o Sino da Paz.

Memorial das Crianças cheio de estudantes
Memorial das Crianças
Sino da Paz no Parque Memorial da Paz

Fomos abordadas por um grupo de crianças fofinhas que estavam distribuindo origamis com mensagens de paz! Adorei!

Crianças distribuindo Origami
Lembrancinhas das crianças

Atravessamos a ponte e chegamos ao Atomic Bomb Dome, uma das poucas construções que não foi completamente destruída pela bomba.

Arte de rua e o Atomic Bomb Dome

Caminhamos mais uns 15 minutos até o Castelo de Hiroshima. É um parque lindo! Ele foi destruído pela bomba, mas reconstruíram umas partes, inclusive a torre do castelo, onde funciona um museu que conta um pouco da história do Castelo e dos samurais (300 Yenes).

Uma das entradas do Castelo de Hiroshima
Entrando no Castelo de Hiroshima
Ruínas do Castelo de Hiroshima
Torre do Castelo de Hiroshima onde fica o museu
Vista do alto da torre do Castelo
Hiroshima vista do alto da torre do Castelo

Pegamos o ônibus do JR Pass para a estação de trem, onde almoçamos. Escolhemos o Restaurante Itchan na praça de alimentação, pois queríamos provar o Okonomiyaki, uma mistura muito louca que parece um omelete de macarrão com carne e queijo. Escolhemos  carne de porco (950 Yenes), sendo que o meu foi com Udon e o da minha mãe com oba, ambos são macarrão de arroz, sendo que aquele é mais grosso e esse é mais fino. 

Provando Okonomiyaki
Okonomiyaki de porco e queijo com macarrão udon

Ainda sobrou um tempinho para a sobremesa, que me surpreendeu! Na lojinha de souvenir eu comprei um bolinho que parecia ser de chocolate e que era delicioso. Fiquei muito arrependida de não ter comprado mais para levar. Depois descobri que era típico de Hiroshima, por isso, infelizmente, não achei nada igual nas outras cidades japonesas.

Bolinho delicioso típico de Hiroshima

O “bate e volta” foi bastante proveitoso! Hiroshima é uma lição de superação! Adorei! No final da tarde, pegamos o trem que levou quase 2 horas pra chegar a Kyoto.

Até a próxima , pessoal!

LEIA MAIS:

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.