Desbravando sozinha Istambul em um dia!

20170227_192841

novo-documento-2017-02-27_2

Olá, pessoal!

Nunca imaginei que aproveitaria tanto uma conexão de voo! Comprei uma passagem pela Turkish Airlines para Dubai e veio com uma conexão de quase 22hs em Istambul – Turquia. Na verdade, a primeira opção que eles me deram foi uma conexão de quase 12hs, mas, quando vi que tinha uma passagem com conexão mais longa, optei por ela para poder conhecer um pouco da cidade. Apesar de os últimos acontecimentos e o noticiário me deixarem um pouco com medo, resolvi encarar! E não me arrependi!

O principal motivo do meu receio não era o recente atentado terrorista no aeroporto, mas principalmente pelas diferenças culturais e religiosas. A religião predominante na Turquia é o Islamismo e nela existem várias restrições para mulheres. Algumas amigas que visitaram a Turquia haviam me alertado para tomar cuidado com os homens na rua.

Levei tudo isso em consideração, mas confesso que foi tudo muito tranquilo e em nenhum momento me senti em risco. Procurei me adequar às regras impostas às mulheres, vestindo roupas adequadas, por exemplo. Em relação aos homens, fui muito bem tratada por todos (vendedores, garçons…) e eles foram bastante respeitosos. Os que se aproximaram enquanto eu andava pelas ruas eram vendedores (principalmente de tapetes). Acho que eu tenho cara de brasileira mesmo, porque a maioria já chegava falando português. É isso mesmo! Cuidado na hora de fazer comentários em português perto dos turcos! Junto aos principais pontos turísticos sempre têm vendedores que falam nossa língua. Fiquei impressionada, mas um deles me explicou que aprendeu com os clientes brasucas! Mesmo assim, eu não dava corda para eles! Portanto, Istambul pode sim entrar no roteiro de mulheres aventureiras como eu, basta pesquisar sobre a cultura e tomar os devidos cuidados.

A capital da Turquia é Ancara.Porém, Istambul é a maior cidade do país e possui uma parte europeia e uma asiática, sendo o Estreito de Bósforo a divisa. O idioma é o turco, mas muitos falam inglês, principalmente na zona turística. A moeda local é a Lira Turca (TL), que é quase igual ao Real, visto que a cotação estava 1€=3,71TL.

Despachei minha mala em Guarulhos direto pra Dubai, portanto tive que me virar em Istambul com o que eu tinha na mochila. Apesar do atraso no voo (quase 2hs), o rapaz do transfer do hostel (30 euros) estava me esperando no desembarque e deu tudo certo! O motorista que me buscou no Aeroporto Internacional de Ataturk – IST (atenção ao viajar, pois existe outro internacional: o Sabiha Gökçen – SAW) foi tão bonzinho que, apesar de ser mais de 1 da manhã, fez um mini tour passando pela Mesquita Azul, pela Basílica Santa Sofia e pela porta que vai para o Palácio Topkapi. Tudo isso fica bem perto do hostel que fiquei.

Basílica Santa Sofia (Hagia Sophia) a noite
Basílica Santa Sofia (Hagia Sophia) a noite

Fiquei hospedada no Cheers Hostel, em um dormitório suíte feminino para 6 pessoas, mas só tinham 4, contando comigo. A diária saiu por 11 euros, incluindo café da manhã, toalha e lençóis. O pessoal é muito amável! O recepcionista me deu um mapa com o roteiro que eu devia seguir e me passou umas dicas.  Após uma bela dormida, tomei o café da manhã, que parecia almoço (tomate, pepino, cenoura, ovo cozido, pão, geleias e chá), e fui bater perna.

Cheers Hostel
Cheers Hostel
Café da manhã com cara de almoço
Café da manhã com cara de almoço

Visitei os seguintes lugares:

  • Mesquita Azul (Mesquita do Sultão Ahmed) – ela é linda por dentro e por fora. A entrada é gratuita, mas os visitantes só podem acessar uma parte, já que existem ambientes destinados apenas para os que vão rezar. As mulheres devem ficar atentas às regras de vestimentas, mas, caso não estejam em trajes adequados, na entrada eles emprestam uma sainha e um lenço para cobrir a cabeça e os ombros. Eu achava que estava bem composta, mas acharam minha calça jeans muito justa e me mandaram colocar a sainha. Para a preservação do tapete, é proibido entrar calçado, por isso tem um local para tirar os sapatos e uns sacos plásticos para colocá-los e levá-los na mão. Lá dentro o piso é todo coberto por um tapete bem gostoso de pisar. Ela é chamada de Mesquita Azul por causa dos azulejos que revestem as paredes internas. O interior é lindíssimo! A visita é bem rápida.
Mesquita Azul ao fundo
Mesquita Azul ao fundo
Pátio Central da Mesquita Azul
Saco plástico para sapatos
Saco plástico para sapatos
Eu nos trajes da Mesquita
Eu nos trajes da Mesquita
  • Basílica de Santa Sofia (Hagia Sophia Museum) – fica bem em frente à Mesquita Azul. Por quase mil anos funcionou como igreja cristã, mas foi convertida em mesquita após a conquista de Istambul pelo Sultão Mehmed. No século XX foi transformada em museu com relíquias do período Otomano, tais como pinturas e mosaicos. A entrada custa 40TL e fica em frente à Mesquita Azul.
Basílica Santa Sofia
Interior da Basílica Santa Sofia
  • Cisterna da Basílica de Santa Sofia – ela está desativada enquanto cisterna, mas está aberta à visitação. Seu acesso é independente da Basílica, assim como o ingresso, que custa 20TL. A entrada fica em outra rua, mas bem perto da Basílica. É repleta de colunas, com destaque para duas que possuem a cabeça da Medusa em sua base. Apesar de as pessoas que me deram dicas de Istambul não recomendarem a visita à Cisterna, pelo meu curto tempo na cidade, resolvi ir, pois, no voo para Istambul assisti ao filme Inferno, com Tom Hanks, e o final acontecia justamente lá! Tinha que ver de perto! Não me arrependi! Mas pode ser que, para os que não trabalham com Arquitetura/ Engenharia e para aqueles que não assistiram ao filme não seja um passeio interessante.
Cisterna da Basílica Santa Sofia
Colunas da Cisterna
Coluna de cabeça de Medusa na Cisterna
  • Palácio Topkapi – era a residência dos antigos sultões turcos, tendo inclusive a parte do Harém, onde ficavam as dezenas de mulheres do sultão. Hoje funciona como museu. É imenso! Tem ainda uma linda vista para o Estreito de Bósforo, que divide a parte européia da cidade da asiática. Inclusive, tem um restaurante estrategicamente localizado para observar a vista. A riqueza pode ser observada na grandiosidade do Palácio e nos detalhes, principalmente nos revestimentos em mármore, ouro, cerâmicas diversas e até madre pérola! A entrada custa 40TL, mas, se quiser visitar os apartamentos do Harém, tem que pagar mais 25TL. No caminho para o Palácio, tem o complexo de Museus Arqueológicos de Istambul, mas, como meu tempo era curto, pulei esta atração.
Entrada do Palácio Topkapi
Palácio Topkapi – decoração luxuosa
Palácio Topkapi – revestimento cerâmico belíssimo
Palácio Topkapi – vista para o Estreito de Bósforo
  • Parque Gulhane – era o jardim externo do Palácio Topkapi, mas hoje pertence à Prefeitura. Ele é bem agradável e tem umas fontes bem legais.
Parque Gulhane
Parque Gulhane – fonte de águas
  • Grand Bazar – é um espaço gigante repleto de barraquinhas que vende produtos diversos: roupas, jóias, tapeçaria, eletrônicos… É um lugar fechado, tipo um shopping popular, que parece um labirinto. Dá para se perder facilmente! Devido ao problema de ataques terroristas na cidade, todo mundo que entra tem que passar pelo raio X;
Acesso ao Grand Bazar
Grand Bazar

Esses foram os locais que consegui visitar, mas tinham muito mais. Porém, tenho que deixar atrações para visitar na minha próxima viagem  à Turquia, já que, com certeza, retornarei! Não é um destino caro, além de ser muito legal caminhar pelas ruas de Istambul, pois a todo momento, encontramos construções belíssimas, vitrines com maravilhosos doces turcos (não provei, mas que são bonitos, são!), restaurantes com o cozinheiro preparando as comidas na sua frente…

E foi em um desses restaurantes que almocei, no Baran Ottoman Restaurant. A vitrine foi Mega convidativa e a simpatia do cozinheiro também! Pedi um frango desfiado que vem com purê de batatas (14TL) e completei com um arroz turco (6TL). Estava uma delícia e bem farto! Eu nem estava com tanta fome, pois havia provado um doce feito de pão intercalado com canela e coberto de nozes (3TL) que comprei em um dos carrinhos de lanche na rua. Junto às atrações turísticas sempre tem carrinhos de lanches, principalmente vendendo milho assado, noz assada e pretzel. Sou apaixonada por comidas de rua e não podia deixar de provar as turcas!

Baran Ottoman Restaurant
Baran Ottoman Restaurant – meu almoço
Pão com canela açúcar e nozes
Carrinho de milho e nozes

Voltei para o aeroporto com um Shuttle (€5) que me pegou no hostel. Ele tem horários fixos e saem pelos hotéis e hostels pegando os passageiros. Foi super pontual (tem horários fixos) e chegou rapidinho ao aeroporto. Também por causa dos atentados, todo mundo que entra no aeroporto, antes mesmo de chegar ao check in, tem que passar pelo raio X e depois, para embarcar, passa novamente. Por isso, é bom chegar com antecedência. Deu tudo certo, e consegui, tranquilamente, pegar meu voo para Dubai!

SITE ÚTIL:

http://www.visitistanbul.org/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s