Conhecendo o paraíso: Fernando de Noronha

Olá, pessoal!

Esse ano realizei um grande sonho: conhecer Fernando de Noronha! Um belo dia, Lú, uma grande amiga, perguntou se eu toparia participar da corrida 21k Noronha. Aceitei na hora, mas para correr 8km, já que não sou adepta das corridas. Queria mesmo curtir a vibe do lugar. Compramos a passagem, reservamos a pousada e, só depois, fomos nos inscrever na corrida. Mas, ao ver o preço da inscrição (muito maior que meu amor pela corrida), decidi que iria para Noronha só curtir e apoiar minha amiga na meia maratona pela ilha!

A Ilha de Fernando de Noronha é a única habitada dentre as 21 que compõem o arquipélago de mesmo nome e que faz parte do Estado de Pernambuco.  Ela é bem pequena, com cerca de 3500 habitantes, sendo cortada por uma BR com cerca de 7km de extensão. Para visitar as outras ilhas, é preciso uma licença oficial do IBAMA. Fernando de Noronha é Patrimônio Mundial da Humanidade (UNESCO) desde 2001 e tem a proteção do Instituto Chico Mendes (ICMBio), responsável pelo Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha

Sua estação “seca” (com pouca chuva) vai de agosto a fevereiro, mas, não basta isso para escolher a melhor época para visitar a ilha. É fundamental verificar as condições do mar. Se o seu objetivo for surfar, a época das ondas grandes e do swell (vento que provoca as ondas grandes) começa em dezembro e vai até março, com auge em janeiro e fevereiro. Já se você for em busca de um mar mais calmo e com maior visibilidade para o mergulho, o ideal é ir em setembro ou outubro.

O principal motivo de eu ter adiado tanto minha ida a Noronha era o elevado preço da passagem aérea! Achava mais vantajoso comprar uma passagem para o exterior do que pagar caro em um voo tão rápido ( menos de uma hora de duração). Até que resolvi que tinha que ir de qualquer jeito e acabei comprando a passagem sem pensar muito! Como o voo saindo de Maceió é muito mais caro, comprei com partida de Recife.

O Aeroporto de Fernando de Noronha é minúsculo e quando chega mais de um voo ao mesmo tempo, fica meio tumultuado. Resolvemos pagar a Taxa de Preservação Ambiental (TAP) da Ilha antecipada pela internet para evitar a fila na chegada, mas a maioria das pessoas teve a mesma ideia, já que a fila de quem pagou estava maior que a de quem ia pagar. Felizmente, andou bem rápido! Mesmo assim, recomendo pagar antecipadamente. Ficou cerca de R$75,00 o dia.

A Taxa do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha (R$111,00 para brasileiros e R$222,00 para estrangeiros), o qual é protegido pelo Instituto Chico Mendes (ICMBio), pode ser paga pela internet (nesse caso, será preciso trocar o voucher pelo cartão de acesso nos pontos de venda) ou nos pontos de venda: Centro de Visitantes do ICMBio, Pic Golfinho – Sancho (Praia do Sancho) ou no Pic Sueste (Praia do Sueste). A taxa vale por 10 dias e é obrigatória para os que vão circular pelo Parque, o que inclui o acesso às praias do Sueste, do Sancho, do Leão e algumas trilhas. Portanto, guarde o cartão de acesso direitinho!

Cartão de acesso ao parque

Foram quatro maravilhosos dias nesse paraíso, uma temporada curta, mas que foi suficiente para conhecer o básico da ilha e ficar completamente apaixonada por ela. Relatarei a seguir um pouco dessas mini férias, incluindo a pedalada acompanhando a corrida do 21k Noronha, o Ilha Tour e os deliciosos pratos que provei nos restaurantes de Noronha.

Como não podia ficar de fora da folia da corrida, resolvi alugar uma bike (Locadora Danilory) e acompanhar minha amiga Lú por todo o percurso.

A corrida tem um percurso mais curto de 8km e o principal de 21km.  Não é uma meia maratona comum, pois não ocorre apenas no asfalto, tendo trechos de terra, de areia (praia), de pedras e muitas subidonas!

Percurso 21k Noronha

A largada e a chegada foram no Porto, de modo que, logo no começo, os corredores tiveram que encarar uma bela subida. O Sol e o calor no dia da prova estavam caprichados, por isso admiro todos (as) os(as) guerreiros(as) que conseguiram terminar a prova! A organização está de parabéns pelos pontos de hidratação que não deixaram os atletas passarem sede em momento algum!

Largada 21K Noronha
Subida inicial 21K Noronha
Acompanhando a Lú nos 21K Noronha
Pit stop na Baía do Sueste
Trecho Off Road da 21k Noronha

Ao longo da prova, os atletas passam por cenários incríveis, como o Mirante da Praia do Leão e as praias do Sueste, da Cacimba do Padre e da Conceição. Não poderiam ter estímulos melhores para concluir a meia maratona!

21K Noronha na Cacimba do Padre
Pit stop na Cacimba do Padre
Última subida da 21k Noronha

Foi uma pedalada prazerosíssima, apesar do calor e das subidonas! Ainda bem que consegui alugar uma boa mountain bike, pois com uma mais simples sofreria bastante e ela poderia não sobreviver ao terreno acidentado e aos pedregulhos!

Pedalei na 21k Noronha

A curtição continuou na festa de premiação, que ocorreu na praia da Conceição com um showzaço do Digão (ex-Raimundos) e banda. Combinação perfeita: música de primeira, galera animada e um cenário impressionante, principalmente no pôr do sol! Tudo isso free!

Festa de premiação 21k Noronha
Show Digão (Raimundos) e banda

No dia seguinte, teve a festa de encerramento no Bar do Meio. Pense em uma festa boa! Teve música para todos os gostos, principalmente quando o Dj Zeh Pretim assumiu o comando. A festa era aberta para quem quisesse chegar!

Festa de encerramento da 21k Noronha no Bar do Meio
  • TOUR PELA ILHA

Aproveitei que a bicicleta estava alugada por 24h para dar mais uma voltinha. Foi uma delícia, pois amo pedalar (para os que não sabem, eu pratico mountain bike), mas, caso você não tenha preparo, não recomendo de forma alguma, pois a ilha é repleta de ladeiras! Uma alternativa é alugar uma bike elétrica, bastante comum por lá!

A bike possante que aluguei

Se não fosse a corrida, eu teria feito o Ilha Tour no primeiro dia para conhecer os principais atrativos e depois ir para os meus lugares favoritos. Mas acabei fazendo depois de já ter dado o rolé de bike.

O tour não foi tão legal, pois nosso guia, bastante recomendado por uma amiga, principalmente pelas fotos que ele fazia dos turistas ao longo do passeio, não estava muito inspirado no dia. Além disso, eu tinha pedido que não fosse totalmente privativo, incluindo mais 2 ou 3 pessoas (adoro interagir), mas, no dia, acabou sendo apenas eu e meu casal de amigos. Porém não foi de todo ruim, mesmo porque o carro era legal e ele nos levou para os lugares combinado.

Seguem os lugares que visitei na ilha, mas cuidado! Cenas fortes pela frente:

    • Praia do Meio

Ela fica entre a Praia do Cachorro (esta eu não fui) e a Praia da Conceição, próxima ao centrinho da Vila dos Remédios, onde muitos se hospedam. É possível ir andando, desde que tenha disposição para encarar uma bela subida na volta! Qualquer coisa, chama o táxi! Como fui no período das ondas, o mar estava muito agitado para tomar banho, por isso fiquei só admirando a beleza dessa praia cheia de rochas! É nela que fica um dos bares mais badalados de Noronha: o Bar do Meio!

Praia do Meio
Praia do Meio
Praia em frente ao Bar do Meio
    • Praia da Conceição

Assim, como a Praia do Meio, dá para ir andando. Ela é ótima para ficar de boa curtindo a praia, pois tem estrutura de bar  e aluguel de cadeiras e guarda-sol (pagamos R$50 no kit de um guarda-sol com 3 cadeiras). Além disso, no fim de tarde tem uma musiquinha no Bar Duda Rei, que cria o clima perfeito para curtir o pôr do sol que é incrível! É bastante frequentada também por surfistas. Uma boa dica, é encher uma bolsa térmica com bebidinhas e levar para a praia, pois economizará bastante. Uma cerveja long neck na praia custa entre R$15 e R$18, já no mercadinho você consegue comprá-la por R$7.

Praia da Conceição
Pôr do sol na praia da Conceição
Pôr do sol na praia da Conceição
    • Baía do Sueste

É uma das praias do Parque Nacional, portanto tem  que apresentar o cartão de acesso na entrada. Como contrapartida, eles oferecem uma estrutura de loja, lanchonete, banheiros e chuveiros. O acesso é controlado e tem horários definidos. Só pode entrar a partir das 9h. Portanto não adianta madrugar para ir para a praia, não conseguirá entrar. 

Baía do Sueste
Praia do Sueste

Mesmo na época das ondas, o mar é mais calmo nessa praia. Seu maior atrativo é o mergulho de snorkel para observar a vida marinha. Você pode alugar o kit pagando R$10 por peça (máscara, snorkel, colete e nadadeiras). Nosso guia nos acompanhou no mergulho, mas, caso não esteja com guia, pode contratar um no local para te acompanhar e mostrar os melhores lugares para observação.

No início, a água estava turva, mas, quando nos afastamos da costa, ficou limpinha e conseguimos ver lindos peixes, tartarugas e até um tubarão.

Snorkel na Baía do Sueste

Na ponta esquerda da praia, é possível observar tubarões pequenos sem mergulhar, pois eles ficam bem na beirinha da praia. Outro atrativo da praia é o mangue.

    • Cacimba do Padre

Uma das mais famosas praias da ilha, é bastante frequentada pelos surfistas em busca de altas ondas! Ela fica entre a praia do Bode e a Baía dos Porcos. Apesar de não ter bares, é possível alugar guarda-sol e cadeiras e comprar algo para beber e um açaí com os barraqueiros.

Cacimba do Padre
Cacimba do Padre
    • Baía dos Porcos

Seu acesso é através da Cacimba do Padre, passando por entre as pedras que criam uma paisagem belíssima. A quebra das ondas nessas rochas formam lindas piscinas naturais, porém, na época das ondas fortes, deve-se tomar cuidado com o banho. Algumas desas piscininhas são repletas de corais, por isso não pode entrar para não danificá-los. O conjunto mar azul, piscinas, rochas e o Morro Dois Irmãos ao fundo propicia fotos incríveis! Lá vai “overposting”!

Vista para a Baía dos Porccos
Morro Dois Irmãos a partir da Baía dos Porcos
As rochas são repletas de Aratu (caranguejo)
Mar azul, rochas, piscininha e Morro Dois Irmãos em uma só foto!
Baía dos Porcos
Piscininha, amor!
    • Praia do Sancho

Uma das praias do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha, portanto, para entrar, tem que apresentar o cartão de acesso na lojinha. A partir da entrada há três opções de trilhas: para o Mirante do Golfinho, para o Mirante Dois Irmãos e para a descida para a praia do Sancho. São trilhas curtas (máximo 1,2km) em uma passarela totalmente acessível.

Trilha para a praia do Sancho

Trilha para a praia do Sancho

A acessibilidade termina na descida para a praia, que se dá através de uma escada vertical com cerca de 200 degraus em meio a uma abertura na rocha.
Descida para a Praia do Sancho
Subida para a praia do Sancho

Mas é importante saber as regras e os horários para acessar a praia, de modo a evitar chegar lá e ter que esperar cerca de 1 hora para descer. Em determinados horários só pode descer, em outros só subir e ainda tem aqueles em que o acesso é livre (sobe e desce). Por isso, é bom dar uma checada na internet nos horários antes de programar a ida à praia.

Horários Praia do Sancho

A praia fica em uma baía e seu mar possui águas bem clarinhas ( de um transparente incrível!). Confesso que fiquei impressionada com a beleza dessa praia desde que vi do alto e me apaixonei completamente quando mergulhei. Um dos melhores banhos da minha vida! Não é a toa que foi considerada uma das praias mais bonitas do mundo. E eu concordo plenamente!

Praia do Sancho: a mais linda!

Arrumamos um cantinho sob uma árvore com uma sombra maravilhosa! Ficaria ali o dia todo sem problema algum. Mas é bom levar uns lanchinhos e algo para beber, pois não vende nada lá embaixo. Deve-se ter cuidado com as mabuias, os lagartos pequenos que estão por todo lado em Noronha. Eles entram nas bolsas em busca de comida. Traçam tudo!

Impressionada com a beleza da Praia do Sancho!
O melhor banho de mar! Praia do Sancho
O melhor banho de mar!

A água é tão transparente que, do alto, conseguíamos avistar os tubarões circulando pelos banhistas. Não precisa ter medo, eles são super de boa! Estão de barriga cheia e lá eles encontram comida bem mais gostosa que a carne humana. Lá também vi uma arraia e peixinhos lindinhos, tudo na beirinha da praia, imagine mergulhando mais para dentro.

    • Mirante Dois Irmãos

Seguindo a trilha após a lojinha de entrada para a praia do Sancho, chega-se a esse mirante com uma vista privilegiada para um dos principais cartões postais da ilha: o Morro Dois Irmãos! Parada obrigatória para fazer aquela foto clássica de Noronha!

Vista do Mirante Dois Irmãos
Mirante Dois Irmãos
Não podia faltar a foto com a parceira!
    • Praia do Leão

Outra praia belíssima do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha! Caminhando um pouco após a lojinha onde apresenta o cartão de acesso, chega-se ao mirante, com uma vista panorâmica incrível! Após o mirante, tem a descida para a praia. Não descemos, pois nosso guia disse que o mar é bastante traiçoeiro e puxa muito para dentro. Confesso que estava morrendo de vontade de dar um tchibum naquele mar lindo! Pretendo voltar na época de mar mais calmo para dar aquele mergulho!

Mirante da Praia do Leão
Mirante da Praia do Leão
    • Praia do Boldró

Essa eu conheci por acaso! Estava dando rolé de carona com os meus novos amigos que resolveram dar uma passada por lá. Tem um barzinho bem legal e uma vibe massa!

Gangue do Buggy na Praia do Boldró
Praia do Boldró
Praia do Boldró
    • Praia do Porto

Normalmente as praias que ficam junto aos portos das cidades são poluídas e não muito frequentadas, mas em Noronha isso não acontece. É da praia do Porto que partem os passeios de barco e a canoa havaiana. Além disso, é um dos principais pontos de mergulho, com uma variedade de espécies marinhas bem grande. Nadei, no rasinho mesmo, com tubarões, tartarugas e peixes lindos.

Embarcações na Praia do Porto
Praia do Porto

Como eu amo misturar meus esportes favoritos com as trips, não resisti e fiz o passeio de canoa havaiana em Noronha. Infelizmente não tinha mais vaga para o do nascer do sol, mas foi lindo mesmo assim! Só não dei a sorte de encontrar os golfinhos.

Canoa Havaiana

A saída é da Praia do Porto e a remada é pela baía (depende da maré e dos golfinhos). Fomos até a praia do Meio, de onde avistamos a praia do Cachorro, na volta fizemos uma parada para ouvir o rugido na Pedra do Leão.

Remada de Canoa Havaiana
Nosso comandante Danilo!

Foram 2,5h de passeio, com direito a parada para admirar o visual e para mergulhar de snorkel (eles fornecem o equipamento).

Remando e contemplando
Pausa para o mergulho
Agradecendo!

Fiz o passeio com a galera do Noronha Canoe Clube, os pioneiros da canoa na Ilha. São super experientes, organizados e cuidadosos. Além de que os equipamentos são de primeira! Não precisa saber remar e nem ter um bom preparo, pois eles explicam direitinho e o ritmo é bem tranquilo.

    • Museu dos Tubarões, Buraco da Raquel e Mirante da Ponta do Air France

Fomos com nosso guia no Ilha tour. O Museu, além de ter uma exposição sobre tubarões, é um restaurante e tem uma lojinha também. Do lado de fora têm umas esculturas bastantes fotografadas pelos turistas. De tanto insistirem, tirei a clássica foto com a cauda da baleia, imitando uma sereia (um pouco brega, mas até que ficou legal!).

Museu dos Tubarões
Esculturas do Museu dos Tubarões
Brincando de sereia

Mais adiante, fica o Mirante da Ponta do Air France, de onde é possível ver ainda o Buraco da Raquel, uma pedra furada dentro do mar.

Ponta do Air France

Buraco da Raquel

  •  ALIMENTAÇÃO

Não é nada barato comer em Noronha, mesmo porque tudo vem de barco do continente. Muitos turistas levam comida em suas malas para baratear. Mas é possível encaixar as comidinhas no orçamento comprando os ingredientes nos mercadinhos e cozinhando na pousada, como a minha que tinha cozinha. Outra alternativa é comer nos “PFs” (restaurantes que servem os pratos feitos), nos restaurantes sem balança ou nos self-services. Mas, se optar por comer em um restaurante melhorzinho, prepare-se para pagar, em média R$100 no prato individual. Nesse último caso, as opções são diversas e muito boas!

    • Restaurante do Jacaré: perto do centrinho da Vila dos Remédios, é um restaurante sem balança, onde você se serve com dois tipos de carnes e os acompanhamentos são a vontade. É bem simples e não tem muita variedade, mas a comida é boa. A refeição custa R$38,00.
Restaurante Jacaré
    • Farmácia e Restaurante Tempero da Mãezinha: isso mesmo, farmácia e restaurante! Além disso, tem um mercadinho. Lá em Noronha dizem que vendem tudo lá, até a mãe! A comida, simples,  gostosa e com uma variedade razoável, é oferecida no esquema self-service, onde o preço do quilo é cerca de R$80.
    • Empório São Miguel: em self-service, sanduíches, sorvetes e outras opções. Também tem uma variedade razoável e o preço é semelhante ao da Mãezinha;
    • Restaurante Xica da Silva: bastante conhecido e recomendado em blogs, tem um ambiente mais legal e um cardápio mais caprichado, consequentemente, já entra no rol dos restaurantes com pratos individuais por volta de R$100. A comida é demorada, mas estava bem gostosa. Pedi um peixe com alcaparras, camarões, purê de batata gratinado e arroz de castanhas. Estava divino e bem servido! Os pratos da Lú e do Anderson também estavam ótimos!
Jantar no Xica da Silva
Peixe com camarões no Xica da Silva
    • Restaurante Cacimba: disparado o melhor! Tanto é que comi lá duas vezes e iria mais se não fosse a curiosidade de conhecer outros restaurantes. O ambiente é uma graça! O atendimento muito bom e a comida é dos deuses! Da primeira vez pedimos um bobó de lagosta, que é o carro chefe da casa e não é a toa! Estava SENSACIONAL! Vem com arroz e uma farofa de pancho (de pão) incrível! Serve duas pessoas. Ainda volto lá para comer esse prato de novo! Estava tão bom que não fotografei! Da segunda vez, pedi um risoto de camarão que estava DIVINO! Acho que não tem comida ruim lá não! Faixa de preço: R$100.
Restaurante Cacimba: o melhor!
Um dos deliciosos pratos do Restaurante Cacimba
Risoto de camarão do Restaurante Cacimba
Almoço no Restaurante Cacimba
    • Restaurante Varanda: ouvi falar muito bem dele e resolvi conhecer. Ele fica meio escondido, mas vale a pena. É um lindo restaurante e a comida é bem gostosa. Pedi o prato Boa Lembrança deles que eram camarões com cebolas crocantes e purê de banana da terra. Estava muito bom e ainda ganha o prato de souvenir! Faixa de preço: R$100.
Restaurante Varanda
Prato Boa Lembrança no Restaurante Varanda
    • Restaurante Delícias da Ná: mais um restaurante para o rol dos top de Noronha! Comida saborosíssima e um cardápio bem variado! Os principais pratos são para duas pessoas, mas alguns eles fazem para uma, cobrando 60% do valor. O carro chefe é o camarão no varal, mas resolvi provar o peixe empanado no pancho com salada e pirão. E não me arrependi, pois estava muito bom. A salada estava incrível. Os funcionários são bem atenciosos. Os únicos pontos negativos foram o calor (fui no almoço) e as moscas (praga dos restaurantes abertos em Noronha)!
Restaurante Delícias da Ná
Delicioso Peixe com pirão no Restaurante Delícias da Ná
  • DIVERSÃO

Apesar de curtir bastante o dia em Noronha, não podia deixar de conhecer a noite também. Como, apesar de ainda não ser alta temporada, a ilha estava relativamente movimentada com os corredores, sempre tinha algo a noite. Além das festinhas da corrida, curti também o fim de tarde no Bar do Meio, o forró do Bar do Cachorro e o samba no Muzenza

    • Bar do Meio: lugar perfeito para curtir o pôr do sol com uma música de primeira. Por volta das 18h começa a banda (um pop muito bom) e depois continua com um sonzinho massa! Não paga entrada, mas tem couvert (R$15) e os preços são padrão Noronha (ex: água R$10, cerveja long neck R$18), mas a vibe faz valer!
Pôr do sol no Bar do Meio
Pôr do sol no Bar do Meio
Curtindo o pôr do sol no Bar do Meio
    • Bar do Cachorro: é onde acontece o famoso forró de Noronha com banda ao vivo. Paguei R$40 na entrada. A banda começa por volta das 22h, mas só começa a encher perto da meia noite. Do nada, a balada estava lotada! A galera dança mesmo! Depois da banda, o DJ lançou o funk e a galera pirou! ahahah
    • Muzenza: rola um samba bem legal! A banda estava super animada, assim como a galera. Não fiquei muito tempo, pois estava muito cheio e eu já estava cansada, pois fui depois da festa do Bar do Meio. Mas a música estava massa! A entrada custa R$30.
  • ACOMODAÇÃO

Assim como tudo na Ilha, a hospedagem tem preços bastante salgados, mas a receptividade e o aconchego acabam nos fazendo esquecer esse “detalhe”!

    • Pousada Casa da Laninha: graças a indicação de uma amiga, consegui essa acomodação, que é bem tranquila, aconchegante, confortável e com privacidade. A Laninha aluga quartos que ficam no térreo de sua casa. O meu tinha uma cama de casal bem gostosa, TV, ar condicionado split, frigobar e um banheiro com uma ducha deliciosa. Além disso, tem uma cozinha compartilhada e uma área de convívio para os hóspedes, apesar de não ter encontrado ninguém! Recomendo bastante! Pagamos R$1.050,00 por 3 diárias em quarto duplo. Mas não tem nem café da manhã e nem wifi.
    • Hostel Casa Swell: como a Lú voltou um dia antes, me mudei, no último dia, para o hostel onde estavam os amigos que fiz na ilha. Ficava bem perto da pousada e tinha uma vibe massa! É simples, mas bem organizado e limpo. Fiquei no dormitório das meninas, com seis camas (beliches) e um banheiro dentro do quarto. O ponto forte, além da simpatia e receptividade dos funcionários e dos hóspedes gente boa, é o café da manhã, que é bem reforçado e tem até tapioca e ovo feitos na hora! Pena que só passei um dia por lá! Recomendo muito para quem estiver viajando sozinho! A diária ficou por cerca de R$180.

 

  • TRANSPORTE

São diversas as formas de explorar a Ilha: com um tour privativo ou em grupo, de táxi, alugando um bugre ou uma bike (como fiz no dia da corrida) ou de ônibus.

Apesar de a corrida de táxi ser cara (eles usam uma tabela a associação Nortax), acaba compensando para explorar a ilha se estiver em duas ou mais pessoas, pois a corrida mais cara que paguei foi para a praia da Cacimba do Padre (R$40), enquanto o tour custa entre R$200 e R$300 porpessoa. Um casal de amigos escolheu essa opção e não se arrependeu. Não tem perigo de não achar táxi, pois basta ligar para a Associação que eles vão ao seu encontro! Uma dica importante: se quiser pagar no cartão, já avisa quando for chamar, que eles mandam um taxista que tenha a maquininha. Não, não tem Uber, 99 ou similar na ilha!

O aluguel de bugre é outra alternativa. Apesar de dar mais liberdade e de poder curtir o vento batendo no rosto, existem alguns pontos negativos: o aluguel não é tão barato (mais de R$200 o dia); a gasolina é caríssima (R$7 o litro); não vai poder beber (cuidado! Sempre tem blitz e Lei Seca pela ilha!); e todos vão comer muita poeira pelas estradas de terra!

 

Existe ainda a opção do ônibus, cuja passagem custa R$5,00, e que se desloca pela BR. É uma boa opção para quem chega ao aeroporto com pouca bagagem e está hospedado em alguma acomodação próxima da rodovia. É a melhor opção para ir para algumas praias, como a do Sueste e da do Porto, pois o ônibus para bem pertinho. Já para as outras será preciso andar pelas estradas de terra.

 

Deu para perceber que aproveitei intensamente essa minha curta temporada em Noronha! Lógico que deixei de fazer várias coisas, como as trilhas para as praias, por exemplo. Mas isso foi proposital, tenho que ter motivos para voltar a esse paraíso!! Até a próxima, pessoal!

4 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.