Lençóis Maranhenses

Oi, pessoal!!

No post anterior, apresentei meus relatos sobre a viagem para a Chapada das Mesas, parte inicial das minhas férias pelo Maranhão. Neste aqui, falarei sobre um lugar com uma beleza única! Nessas minhas andanças pelo mundo eu nunca vi nada parecido. Estou falando dos Lençóis Maranhenses, onde passei maravilhosos 5 dias, sendo uma parte com a minha amiga Tati e a outra sozinha.

Os Lençóis Maranhenses correspondem a um Parque Nacional composto por imensas áreas de dunas com areia branca e, em meio a elas, são formadas, por acúmulo de águas das chuvas, maravilhosas lagoas. São dois os municípios que servem de base para explorar essa maravilha: Barreirinhas, a mais estruturada, e Santo Amaro. Outra base é Atins, vilarejo de Barreirinhas, que vem sendo bastante procurado pelos turistas, principalmente pelos amantes do Kite Surf.

São tantos lugares incríveis que, para não ficar tão cansativo, vou apresentar meus relatos sobre Atins no próximo post, junto com o relato da rápida passagem pela capital do Maranhão, São Luís.

Chegamos ao aeroporto de São Luís de madrugada e o senhor Ivaldo, motorista que havíamos contratado (R$ 100,00 por pessoa), estava nos esperando. Foi a melhor coisa que fizemos, pois estávamos muito cansadas e loucas para chegar à pousada. Fomos somente as duas no carro (um Corolla) em uma viagem que levou cerca de 3 horas até Barreirinhas, com uma paradinha estratégica para o café da manhã.

As outras opções seriam contratar um transfer (microônibus ou ônibus), que custava R$70 por pessoa, porém teríamos que ficar algumas horas esperando no aeroporto, e alugar um carro, o que nem cogitamos, mesmo porque sabíamos que os passeios lá já incluíam o transporte.

PASSEIOS

Algo fundamental de saber antes de ir para os Lençóis Maranhenses: não tem como fazer passeios por conta própria, sempre tem que ser com guias credenciados no Parque, portanto, todos são pagos!

Outra informação importante para evitar stress (gostaria que tivessem me falado antes): as agências e os guias que vendem os passeios, normalmente, funcionam como intermediários e quem leva os turistas acaba sendo outra empresa com outros guias. Portanto, não adianta reclamar com o guia do passeio que o roteiro não está de acordo com o contratado. Eles vão falar para você tratar direto com quem você contratou.

Segue um pouquinho dos maravilhosos passeios que fiz no paraíso dos Lençóis Maranhenses:

  • Pôr do sol na Lagoa Bonita (R$90 por pessoa)

No início da manhã, chegamos à Pousada Chalé Marinas, onde nos hospedamos. Para esse dia, escolhemos um passeio de meio período, o do pôr do sol na Lagoa Bonita.

Nosso primeiro passeio começou com cerca de 1 hora chacoalhando em uma jardineira pelo Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. A primeira parada foi na Lagoa do Maçarico. Foi paixão à primeira vista! Fiquei maravilhada!

Lagoa do Maçarico
Banho delicioso na Lagoa do Maçarico

Depois fomos para mais duas lagoas: do Clone e a Bonita.

Lagoa Bonita
Portal Lagoa Bonita

Em seguida, subimos até a duna mais alta para ver o sol se pôr.

Pôr do sol na Lagoa Bonita

Ao descer das dunas do pôr do sol, nos deparamos com várias tapioqueiras fazendo tapiocas deliciosas. Não poderia deixar de comer a minha! Foi o fim do passeio. De lá, voltamos a chacoalhar até o centrinho de Barreirinhas. A agência nos pega e nos deixa na pousada.

Vista das barracas de tapioca e de artesanato
Tapioca feita na hora
  • Lagoas de Santo Amaro (R$180 por pessoa)

No dia seguinte, fizemos o passeio pelas lagoas de Santo Amaro, um dos municípios abrangidos pelo Parque. Saímos de Barreirinhas e, após cerca de 1,5 h de viagem, chegamos à cidadezinha. Visitamos 5 lagoas incríveis: Peixe, Recanto, Junco, Cajueiro e Gaivota! Ficou difícil de saber qual a mais linda! Além de tudo, proporcionam um banho delicioso com água doce morninha!

Lagoa do Peixe
Lagoa do Peixe
Lagoa do Recanto
Lagoa do Junco
Lagoa do Junco
Lagoa do Cajueirinho
Lagoa do Cajueirinho

O deslocamento pelas dunas é feito de jardineira e, pelo caminho, em meio àquela imensidão de dunas com areia branca e de belíssimas lagoas, fomos surpreendidas com uma cena bastante interessante: gado pastando em um lugar que parecia uma lagoa que havia secado.

Meio de transporte nos Lençóis Maranhenses
Boi em uma lagoa seca em Santo Amaro

Para fechar com chave de ouro o passeio em Santo Amaro, a agência nos levou para almoçar no Restaurante Sol de Amaro, onde provamos o famoso arroz de cuxá (prato típico da região com arroz e vinagreira, planta típica do Maranhão) com deliciosos camarões.

Arroz de cuxá com camarões
  • Passeio de Quadriciclo para Caburé com retorno de lancha pelo Rio Preguiças (R$190 por pessoa)

No passeio de Santo Amaro conheci um casal muito legal de São Paulo, a Van e o Bê, e eles me convenceram a acompanhá-los no passeio de quadriciclo. Como a Tati havia ido embora, me juntei a eles para curtir os últimos dias que tinha nos Lençóis. Contratei o passeio com a agência que organizou os passeios deles. Houve um mal entendido e acabei indo sem eles. Enquanto eles foram de lancha para voltar de quadriciclo, eu fui de quadriciclo e voltei de lancha, só nos encontramos no restaurante do almoço. Disseram que foi falta de vaga, mas acredito que tenha sido desorganização mesmo, pois frisei que queria fazer o passeio com eles e a agência havia me garantido que o meu pedido seria atendido. Enfim, não podia deixar isso estragar o meu dia! Aproveitei mesmo assim!

A agência me pegou no hotel e me levou para o ponto de partida do quadriciclo, ainda em Barreirinhas. Como eu estava sem dupla, fui com o guia, alternando a direção com ele. Fomos à praia de Caburé passando pelas dunas do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Muito legal pilotar pelas imensas montanhas de areia! Diversão garantida!

Aventura de quadriciclo pelas dunas do Parque Nacional

Fizemos uma parada estratégica para nos refrescar em um verdadeiro oásis, a Lagoa do Alazão, com um banho maravilhoso, redinhas, tirolesa e até uma vendinha de petiscos e bebidinhas.

De boa na Lagoa do Alazão
Passeio de quadriciclo pelo Parque Eólico

De lá, seguimos para Caburé, passando por um Parque Eólico, pilotando pela praia e terminamos no restaurante que fica entre a praia de Caburé e o Rio Preguiças. E foi por esse rio com paisagens belíssimas que retornei à Barreirinhas de lancha.

Retorno de lancha pelo rio Preguiças

ACOMODAÇÃO

Como contei no início, minha estadia em Barreirinhas, nos Lençóis Maranhenses, foi dividida em duas: na companhia da minha amiga Tati e sozinha. Na primeira parte, com a Tati, ficamos hospedadas numa pousada às margens do rio Preguiças, a Chalé Marinas. O quarto era bem amplo, com uma cama imensa. Os funcionários super simpáticos e prestativos. Mas o que mais gostei foi o café da manhã, não somente a variedade e a qualidade das comidas, como o ambiente e a vista do rio. Ela fica um pouco mais afastada do centrinho, cerca de 10 minutos de caminhada. Mas alguns restaurantes oferecem transporte gratuito.

Quarto no Chalé Marinas
Vista do café da manhã no Chalé Marinas

Quando a Tati foi embora, resolvi me mudar para um hostel para conhecer outros viajantes em “carreira solo”. Segui a indicação de uma amiga e me hospedei no Z-18 Hostel, super bem localizado (poucos minutinhos da orla) e com quartos bem confortáveis,com ar condicionado e banheiro privativo. Foi uma ótima experiência, pois conheci duas paulistas nômades bem legais. Foram apenas duas noites, uma antes de ir para Atins e outra quando voltei.

RESTAURANTES

Barreirinhas possui uma variedade bem legal de restaurantes, estando os mais procurados pelos turistas na orla beira rio. Seguem os lugares onde comi:

  • Restaurante Mangue – fica em uma das transversais da orla. Ele oferece transfer para os hotéis e música ao vivo. Comemos um prato delicioso de camarão!! Foi, sem dúvida, o restaurante que mais gostei.
Delicioso prato com camarão no restaurante Mangue
  • Restaurante A Canoa – comemos uns petiscos e tomamos umas cervejinhas com os amigos que fizemos no passeio. Ficamos em uma mesinha do lado de fora, na orla, para curtir a música ao vivo. Foi legal, mas a comida não tinha nada de especial.
Jantarzinho com os novos amigos
  • O Bambu – também fica na orla. Pedimos uma pizza, que estava bem ruim. Não recomendo.

Confesso que a viagem aos Lençóis Maranhenses superou todas as minhas expectativas. Entre se hospedar em Barreirinhas e Santo Amaro, recomendo o primeiro município, pois tem mais estrutura. Porém, se o objetivo é ficar de boa em uma pousada e ficar curtindo as lagoas mais próximas, e sem se importar com a falta de infraestrutura, Santo Amaro é uma opção.

Calma que ainda não acabou! Aguardem os relatos sobre Atins, mais um paraíso do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses!

Confiram os locais que visitei no mapa:

https://www.google.com/maps/d/edit?mid=1Aw1EFs44Fr4vU7-xkF8iCPQvFXVseNZc&usp=sharing

Até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.