Realização de um sonho: OktoberFest em Munique-Alemanha!

Postal Munique frente Postal Munique verso

Oi, pessoal!

A viagem chegou ao fim!! Mas fechei com chave de ouro: no OktoberFest de Munique!

Passei dois anos tentando ir, mas o valor da hospedagem me desanimava. Esse ano, finalmente, consegui boas companhias e uma acomodação. Andrea, uma amiga húngara que mora em Londres, resolveu ir para Munique e me convidou para ficar com ela hospedada na casa de uma amiga alemã, a Kerstin, que mora com seus filhos Daniel e Julian. O problema era que, para conseguir estar em Munique na mesma data que Andrea, eu teria que adiar minha volta para o Brasil. Foi o que fiz. Para ficar melhor ainda, Carina conseguiu reorganizar a viagem dela para estar no Oktober comigo também! Bom demais!

Neste post não esperem relatos de caminhadas pela cidade e fotos de pontos turísticos de Munique. O motivo da minha ida a Munique foi exclusivamente o Oktober. O turismo pela cidade eu já havia feito alguns anos atrás. Por isso, não terá o mapinha ao final do post.

Saí de Salzburgo às 9:30 em um ônibus da Flixbus (€14) lotado de pessoas mega animadas para ir para o Oktoberfest, muitos, inclusive, já vestiam seus trajes: Dirndl (feminino) e Lederhosen (masculino). A viagem é bem rápida, cerca de 2 horas. Com o problema dos refugiados, a Alemanha resolveu fechar suas fronteiras. Por isso, algumas viagens de trem entre Salzburgo e Munique haviam sido canceladas. Dei sorte em ter comprado minha passagem de ônibus antecipada! Ao chegar à fronteira entre os dois países, a Polícia entrou no ônibus para checar os passaportes e ter certeza que nenhum refugiado estava entrando no país. Nessa hora, vi pela janela vários refugiados aglomerados na fronteira, levando chuva, todos na esperança de conseguir entrar na Alemanha.

Refugiados na fronteira da Áustria com a Alemanha
Refugiados na fronteira da Áustria com a Alemanha

Desci na estação de ônibus e fui caminhando até a estação de trem, cerca de 10 minutos apenas, encontrar Carina que havia chegado de Budapeste. O clima da estação estava maravilhoso! Estava me sentindo no aeroporto de Salvador no carnaval!! Um monte de gente com os trajes e com cerveja na mão, além de várias barraquinhas de souvenirs do festival. Não acabavam de chegar trens cheios de pessoas a caminho do OktoberFest! Na estação tinha uma super estrutura de banheiros para a galera se arrumar para o festival e custava apenas €1, tendo direito, inclusive, a penteadeira com espelho para se maquiar. Coloquei meu traje e guardei minha mala no armário da estação (€4). Fizemos um lanche na estação mesmo, e fomos encontrar a amiga da Carina com a amiga dela. Finalmente chegamos à festa!

Chapéuzinhos alemães nas barraquinhas de souvenirs da estação de trem. Entrando no clima!
Chapéuzinhos alemães nas barraquinhas de souvenirs da estação de trem. Entrando no clima!

Na entrada do festival me deparei com um belo parque de diversões com várias barraquinhas de souvenirs e de lanches e, em seguida, cheguei na melhor parte: as tendas de cervejas. Apesar de serem cervejas já conhecidas, os fabricantes preparam lotes especiais, com percentual de álcool mais elevado, só para o Festival! Como era quarta-feira, foi tranquilo chegar por volta das 15:00. Aos fins de semana, para conseguir entrar nas tendas, tem que chegar de manhã cedo. Antes de entrar nas tendas, paramos nas barraquinhas de lanches, pois as meninas queriam comer. A maioria das barracas vende as mesmas coisas: linguiças, galetos e pretzels. É possível comer nas tendas também, mas é preciso conseguir uma mesa para isso e é mais caro que nas barracas.

Um dos brinquedos do parque de diversões do Oktober Fest
Um dos brinquedos do parque de diversões do OktoberFest
Montanha russa
Montanha russa
Carruagem com cervejas puxada por lindos cavalos
Carruagem com cervejas puxada por lindos cavalos

Entramos na nossa primeira tenda: Augustiner! Minha cerveja favorita das que faziam parte do festival. Conseguimos uma mesa e pedimos nossa primeira cerveja. O valor das cervejas (1litro!) nas tendas variava entre €10 e €11, mas ainda tinha a gorjeta, no mínimo, 10%. A falta de gorjeta para a garçonete, deixa ela um pouco chateada,  o que resulta em falta de cerveja. Portanto, nada de deixar de dar a gorjeta da moça! Apesar da cerveja estar deliciosa, o público da tenda não nos agradou muito, pois era um pessoal beeemmm mais velho e acredito que eles já estavam lá desde manhã, pois a maioria já estava “para lá de Bagdá”!

Tenda da Augustiner
Tenda da Augustiner
Carina e eu na tenda da Augustiner
Carina e eu na tenda da Augustiner
Primeira cervejinha na tenda da Augustiner
Primeira cervejinha na tenda da Augustiner

Continuamos, então, nosso tour de tendas: Löwenbrau, Paulaner (tinham duas tendas dela) e a tão esperada Höfbrau(HB). Essa última é conhecida por ser a tenda dos turistas, isso porque nas outras tendas, as bandas tocam exclusivamente músicas alemãs, já na da HB eles tocam músicas internacionais. Além disso, na HB as garçonetes vendem cerveja para quem não está na mesa, o que facilita bastante, pois é muito difícil pegar mesa e algumas já são reservadas com bastante antecedência e outras são praticamente cativas de algumas pessoas. Assim, a tenda da HB acaba virando balada, com os corredores lotados de estrangeiros. Achei muito legal! Para variar, fica lotada de brasileiros! Entre as músicas estrangeiras, a banda toca sempre a música do brinde. Tentei decorar, mas é muito difícil. Por via das dúvidas, já estou treinando para o ano que vem. É assim:  “Ein Prosit, ein Prosit, der Gemütlichkeit, ein Prosit, ein Prosit, der Gemütlichkeit. Eins, zwei, drei, saufen!” Fácil né?!

Tenda da Lowenbrau
Tenda da Löwenbräu
Galera na tenda da Löwenbrau em cima da mesa para o brinde
Galera na tenda da Löwenbräu em cima da mesa para o brinde
Uma das tendas da Paulaner
Uma das tendas da Paulaner
Outra tenda da Paulaner
Outra tenda da Paulaner
Tenda da Hofbrau
Tenda da Hofbrau
Tenda da Hofbrau por dentro
Tenda da Hofbrau por dentro

Curti bastante meu primeiro dia, mas deu a hora de voltar para a estação de trem para pegar a minha mala e para encontrar a Andrea que estava chegando de Londres. Tive que me despedir de Carina que ia voltar para Liverpool. Segui com Andrea para a casa da amiga dela.

No dia seguinte, coloquei meu Dirndl novamente, sendo repreendida pela Kerstin, nascida e criada em Munique, que disse que Dirndl de verdade tem que ser abaixo do joelho. E me mostrou o dela que é longo. O da Andrea também era bem longo. Havia percebido isso no primeiro dia, pois a grande maioria das mulheres usava trajes longos, só na HB que vi uns mais curtos, ou seja, as turistas, como eu, têm que se informar melhor antes de comprar suas roupinhas do Oktober. A minha foi comprada no Ebay! kkkkkk! Na próxima vez providencio um mais composto! Mas, pelo menos, poderei reaproveitá-lo nos carnavais do Brasil!

Andrea e eu com nossos dirndls
Andrea e eu com nossos dirndls

Bom, era o único traje que tinha e era com ele que eu ia mesmo! Tomamos café no supermercado e fomos para a festa! Passeamos pelas barraquinhas, comprei uns presentinhos e fomos encontrar Kerstin, seus filhos e seus amigos no “Oktober Velho”. Isso mesmo! Muita gente não conhece, mas tem uma parte da festa onde eles reproduziram o parque de diversões e as tendas do Oktober antigo, é a “Oide Wiesn”. A entrada custa €3 e o lugar é ideal para quem vai com a família, pois é bem mais sossegado e tranquilo para as crianças. O parque tem brinquedos antigos, como carrossel e tiro ao alvo, e algumas poucas tendas. Entramos na tenda da Höfbrau, que tem um espaço central reservado para apresentações de dança e para ser usado como velódromo, para corridas e apresentações de bicicleta, incluindo algumas bem diferentes. É um lugar mais agradável para almoçar, inclusive, apesar do preço da comida ser bem salgada! A cerveja é servida em caneca de louça! Adorei a experiência!

“Oide Wiesn” – Oktober Velha
Antigo brinquedo do parque de diversões da Oktober Antiga
Antigo brinquedo do parque de diversões da Oktober Antiga
Velódromo dentro da tenda da antiga Höfbrau
Velódromo dentro da tenda da antiga Höfbrau
Apresentação de dança típica alemã
Apresentação de dança típica alemã
Curtindo o Oktober bem no estilo alemão com meus novos amigos alemães! Prost!
Curtindo o Oktober bem no estilo alemão com meus novos amigos alemães! Prost!
Andrea e eu com a canequinha de louça!
Andrea e eu com a canequinha de louça!
O fofo do Julian em seu lederhosen!
O fofo do Julian em seu lederhosen!

Nos despedimos da família e fomos para o Oktober novo, direto para a tenda da HB! Nos divertimos tanto que não vi a hora passar! Saímos de lá quando estava fechando, mais de 23:30! Tivemos que voltar para a casa da Kerstin voando para eu tomar banho e pegar minhas coisas para ir para o aeroporto. O último trem era às 1:30. Felizmente, consegui! Cheguei ao aeroporto que estava às escuras. Eles fecham tudo na madrugada, pois não tem vôo. O meu para Liverpool era às 6:00. Tinha um monte de gente dormindo pelas poltronas vestindo os trajes do Oktober. Não tive dúvida, fiz o mesmo! Me amarrei nas minhas malas, liguei o despertador do celular e dormi nas terríveis poltronas de madeira do aeroporto. Custava nada colocar umas fofinhas! Mas deu tudo certo! Acordei a tempo de pegar meu vôo! Ainda bem que o avião, da Sinagpore Airlines (£90), era mega confortável e deu para descansar um pouco!

Com certeza voltarei outras vezes para o Oktober e para esta maravilhosa cidade que é Munique! Era o fim da minha maravilhosa trip!

Espero que tenham curtido meus relatos!

Até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s