Carnaval relax em Nobres MT

Olá, pessoal!

Nos últimos quase um ano está tudo muito diferente em todo o mundo devido à pandemia do Coronavírus. E o carnaval de 2021 não poderia fugir à regra. Nada de folia e nem aglomerações. Decidi, então, aproveitar o feriadão, que não foi para todos, para conhecer um novo destino no Brasil.

E o escolhido foi Nobres no Mato Grosso. Já tem um tempo que estava louca para conhecer as belezas desse lugar e aproveitei o fato de estar em Brasília para matar a vontade. E ainda encontrei uma parceira para a trip, portanto, não poderia perder a oportunidade!

O ponto de partida para os passeios em Nobres fica no Distrito da Vila Bom Jardim, distante cerca de 65 km do centro administrativo de Nobres e a aproximadamente 140 km do Aeroporto Internacional de Cuiabá. Uma vila pequena e com pouca estrutura, mas que fica mais próxima das principais atrações turísticas da região.

PASSEIOS:

Achei muito legal em Nobres a organização dos passeios. Todos têm que ser agendados com antecedência nas agências credenciadas da região. Eles te dão um voucher que você deve apresentar no passeio. Os valores são padronizados, mas é sempre bom pegar indicações da agência antes.

Dei uma pesquisada em blogs de viagens, mas resolvi seguir a dica de uma amiga que mora em Cuiabá, que indicou duas agências. Acabamos fechando com o Uller, da agência Roma Turismo, que foi maravilhoso!! Super atencioso e prestativo, além de super organizado! Ele montou um roteiro do jeitinho que queríamos e, quando chegamos lá, nos entregou um envelope com todos os vouchers, um mapa para alguns passeios e explicou tudo de forma bem detalhada. Além disso, estava sempre disponível por celular, respondendo prontamente às mensagens.

Uma informação importante: na Vila Bom Jardim não tem sinal de nenhuma operadora de telefone, portanto a comunicação é feita apenas pela internet quando se consegue acesso ao wifi, que não é a das melhores, mas suficiente para utilizar o whatsapp, por exemplo. Outro detalhe é que lá ninguém usa endereço, apenas localização. Nosso guia sempre nos mandava a localização dos locais dos passeios para podermos chegar aos destinos. Lembrando que é preciso acionar a localização quando estiver no wifi!

A maioria dos passeios dura de 1 hora e meia a duas horas, de modo que é possível fazer até 3 no mesmo dia. Sendo que não estávamos a fim de nada muito corrido, por isso que deixamos os passeios bem espaçados. Mesmo porque nossa estadia era de sábado a tarde até terça-feira ao meio dia, tempo mais do que suficiente para fazer os principais passeios.

Os passeios que fizemos foram os seguintes:

1 – Balneário Estivado

Não havíamos reservado esse passeio com o Uller, mas acabamos indo de última hora, no dia que chegamos à vila, pois era a opção mais próxima para comer. Como na hora que chegamos não tinha mais local servindo almoço, fomos para o balneário, que fica próximo à pousada, comer uma porção.

A entrada, normalmente, custa R$30,00 (antecipadamente na agência estava por R$25,00), mas como chegamos tarde e explicamos que nosso objetivo era comer, deixaram pela metade do preço.

É um local pequeno, que consiste em um quiosque que serve comidas e bebidas e que fica às margens de um rio repleto de peixes que não se incomodam com a presença das pessoas, e ficam nadando em meio a elas. O lugar é legal, o banho delicioso, mas não nos agradou muito, pois estava muito cheio. Ele funciona como bar tendo, inclusive, música ao vivo à noite e fica aberto (ao menos no sábado que fomos) até às 23:00. Mas ficamos bem pouco, pois já tínhamos um passeio agendado.

Banho no balneário Estivado
Banho em meio aos peixões
Peixões nadando em meio às pessoas no Balneário

2 – Lagoa das Araras

Reservamos esse passeio (R$30,00 por pessoa) para o fim do dia, pois é um dos locais procurados para admirar o pôr do sol. Diferente dos demais, esse não tem limite de pessoas por horário. Fica bem perto da pousada e é de fácil acesso. É preciso passar em uma loja de materiais de construção, que fica no caminho, para deixar o voucher e pegar as coordenadas de como chegar.

Achei o lugar belíssimo! Um alagado repleto de palmeiras e por entre as quais as araras e outros pássaros dão um show maravilhoso! Apesar do tempo chuvoso nos ter impedido de ver o pôr do sol, fiquei admirada com a beleza do lugar e com as aves.

Observando as araras na Lagoa das Araras
Casal de araras
As nuvens não nos deixaram ver o pôr do sol, mas a vista estava linda mesmo assim
Show das araras e de outros pássaros

2 – Boia Cross no Duto do Quebó

Após aproximadamente 40 minutos de estrada (cerca de 25km), a maioria sem asfalto, chegamos ao ponto de partida do passeio de boia cross (R$ 80,00 por pessoa), onde eles nos entregam o capacete, o sapato e a boia (já inclusos no valor). Lá eles alugam capinha impermeável para celular (R$10,00).

Após algumas orientações do guia, colocamos as boias na água e seguimos. Confesso que foi meio decepcionante. É um passeio legal, mas achei muito parado, pois o rio é bem raso e várias vezes a boia fica “empacada”. Pensei que tivesse um pouco mais de emoção. A parte mais emocionante foi a da caverna repleta de morcegos (eu dispensaria os morcegos, haahah). Acredito que os organizadores poderiam usar algumas estratégias para deixar o passeio mais divertido. Todavia, acredito que seja um bom passeio para crianças (só pode acima de 6 anos), famílias e grupos de amigos.

Ele tem cerca de 1 hora e meia de duração e, ao final,um caminhão nos leva de volta ao ponto de partida.

Partiu, boia cross!
Preparando para entrar no Rio Quebó para o boia cross
E lá vamos nós!
Deixa o rio me levar!
Aquela que não pode ver um balancinho!

3 – Aquário Encantado

O Aquário (R$ 100,00) é um dos passeios mais bonitos e que foi estrategicamente agendado junto com o boia cross, já que eles estão localizados na mesma região. Porém, precisaríamos aguardar três horas para chegar o horário que havíamos agendado, mas resolvemos ir logo para almoçar (buffet R$50,00) com calma e descansar. Demos sorte e conseguimos antecipar nosso passeio!

Pegamos nossos equipamentos (máscara, snorkel, colete e sapatos, todos devidamente higienizados) e entramos na carroceria do trator que nos levou até o início da trilha (pequena) que leva até o aquário. Chegando lá, fiquei maravilhada com a cor da água e a beleza daquele lugar!

A cor da água é impressionante!

Após as orientações do guia, que explicou o que não poderíamos fazer em prol da preservação do local, entramos na água para a flutuação. Uma das coisas que não é permitido fazer é tocar o fundo, o que também deixaria a água turva. Então, se cansar de flutuar, pode se apoiar nos troncos submersos. No fundo é possível ver umas formações rochosas bem bonitas!

Prontas para mergulhar!

Pense em um banho gostoso!
Mergulho no aquário

Após o aquário, caminhamos mais um pouco até chegar ao rio da flutuação. Foi só entrar e deixar a correnteza nos levar enquanto observamos os peixes e as belezas submersas. Foram cerca de 700 metros. Achei muito legal!

Rio da flutuação
Felizes na trilha após a flutuação

4 – Caiaque no rio Cuiabazinho

Um outro passeio que não estava na programação era o caiaque no rio Cuiabazinho (R$80,00 por pessoa), que fiz graças a um menininho de 6 anos muito fofo chamado Murilo que estava hospedado no quarto ao lado do meu na pousada. Estava com um dia livre e nosso plano era ficar descansando na pousada, mas na tarde anterior fomos abordadas pelo Murilo que ficou conversando com a gente e nos apresentou seus pais, os quais nos convidaram para fazer o passeio. Na manhã do dia seguinte, Murilo bateu à minha porta chamando para ir com eles, não pensei duas vezes, me arrumei e fui!

O ponto de encontro foi na Pousada Kabanas, bem próxima a nossa, e o guia foi o Kleber, muito simpático por sinal. Após nos equiparmos, entramos no caminhão e seguimos para o local de partida do passeio, onde o guia nos passou as orientações. É um passeio bem tranquilo, ótimo para contemplação. Um pouco mais de uma hora de remada, mas a favor da correnteza, portanto sem muito esforço. Ao longo do percurso, têm sete corredeiras para dar uma emoçãozinha, mas nada muito radical. Infelizmente, com as chuvas, a água estava mais barrenta, mas, os que mergulharam acharam o banho muito bom. Confesso que não me animei muito para o banho! Foi um passeio legal!

Remadinha de contemplação no rio Cuiabazinho
Pessoal pronto para descer o rio!
Ponto de chegada!

5 – Cachoeira dos Namorados

No passeio de caiaque, conheci um catarinense que me falou da Cachoeira dos Namorados. Já tinha ouvido falar nela, mas fomos informadas que o acesso era proibido. Porém, ao pesquisar na internet, não vimos essa proibição. Como tínhamos mais algumas horinhas livres e o dia estava lindo, resolvemos ir até lá. Esse passeio não é vendido em nenhuma agência. Seguimos a localização do Google, que nos levou até uma fazenda. Lá, um senhor nos cobrou R$25,00 por pessoa e nos ensinou o caminho pela trilha, que é bem fácil e curta, cerca de 700 metros, com umas subidinhas, mas nada muito ingrime.

Valeu muito a pena! O lugar é lindo, o banho estava delicioso e, principalmente, sem aglomeração! São várias quedas d’água, com alguns poços para banho. Aproveitamos bastante, mas tivemos que voltar quando a chuva começou, pois existe o risco de tromba d’água!

Caminhada de cerca de 700m até a cachoeira
Uma cachoeira só para nós!
Banho maravilhoso! Juro que a água não estava muito gelada!
Têm mais banhos para baixo e para cima

6 – Quadriciclo

Sem dúvidas, o passeio mais divertido da viagem! O ponto de encontro é na Agência Bom Jardim Adventure, na Pousada Bom Jardim, bem pertinho da nossa acomodação, onde nos entregam os equipamentos (tudo muito higienizado), passam as instruções e nos colocam para treinar antes de pegar estrada. Tudo muito organizado!

O passeio em quadriciclo individual custava R$160,00 e o duplo R$230,00. Como eu não tinha certeza se conseguiria fazer o passeio, reservamos apenas um e na hora não tinha mais nenhum disponível, por isso fomos no duplo. Mas foi muito divertido! Teve aventura para as duas! Ah! Recomendo o aluguel das galochas, pois cobram apenas R$5,00 e poupa o tênis da lama!

O passeio dura quase 2 horas, em meio a poças de lama, subidas e descidas radicais, caminhos estreitos com árvores no caminho e um visual maravilhoso! Os guias passam bastante segurança durante todo o percurso.

Aventurando de carona nas subidas!
Teve muita lama também!
Agora foi minha vez!!

Ah! Os guias também arrasam nas fotos! Em meio ao passeio, paramos em um mirante para fotos. Elas ficam lindas!

Pausa para as fotos no mirante!
O guia arrasa nas fotos!
Passeio top!

7 – Cachoeira da Serra Azul

A Cachoeira da Serra Azul é um Parque administrado pelo Sesc Pantanal que fica a 25 km da Vila. Além da cachoeira (R$80,00), oferece outras atividades: tirolesa (R$50,00), cicloturismo e arvorismo (R$50,00).

Esse é o passeio mais disputado. Quando reservamos o passeio, cerca de um mês antes da viagem, só havia vagas para a terça-feira de carnaval. Assim como a maioria dos passeios, a confirmação fica pendente das condições climáticas e, como fevereiro é mês de chuvas, ficamos na expectativa. Nos dias anteriores ouvimos relatos de que a chuva tinha deixado a cachoeira com muito volume de água, o que dificultava as fotos e o banho, e mais escura. Além de a estrada estar muito ruim com a lama. Mas, o nosso santo é forte e no nosso dia não choveu e a cachoeira estava linda!

O ponto de encontro do passeio fica no posto policial em frente a nossa pousada e lá encontramos a guia, uma hora antes do horário marcado para o passeio, e ela nos guiou até o Parque Sesc. O lugar é lindo e muito bem cuidado! Um verde de impressionar!

Que lindeza esse verde todo!

Pegamos o nosso kit da tirolesa e começamos a caminhada em direção à cachoeira, com direito a uma paradinha rápida no início da mata para instruções e, em seguida, uma escadaria com mais de 400 degraus em meio a uma belíssima vegetação.

Início da subida (mais de 400 degraus)!
Muito legal o contato com a natureza!

Ao chegar perto, fiquei admirada com a cor da água da cachoeira emoldurada pelo verde das folhas das árvores.

Não poderia deixar de registrar esse visual incrível! E a paparazzi Diana me pegou de surpresa!

Cenário perfeito para um book! A queda d’água, com cerca de 46 metros, é um show a parte! O banho é uma delícia e não é gelado como a maioria das cachoeiras! Isso porque ali do lado tem uma nascente de água quentinha.

São Pedro foi muito bom para nós!
Que belezura!
A natureza é perfeita!

O engraçado é que os peixes não se incomodam com a presença das pessoas e nadam livremente em meio a elas. Não podíamos deixar de fazer o clássico registro com as piraputangas (peixe da região) pulando, mediante um pequeno estímulo da guia!

As piraputangas (peixe da região) nadando em meio às pessoas
Peixes saltitantes!

Após nos divertirmos bastante na cachoeira, vestimos nossos equipamentos e descemos de tirolesa por um percurso lindo passando por cima daquele verdão. A descida dura mais ou menos 40 segundos e nos deixa bem pertinho do carro. Mais prático impossível!

E para descer, vamos de tirolesa! O look nada legal com essa máscara, mas segurança acima de tudo!
Descendo de tirolesa!

TRANSPORTE

Antes da viagem, reservamos um carro na Movida para a retirada no aeroporto. Havia perguntado à agência sobre serviço de transfer, mas nenhuma faz, nem o traslado do aeroporto para a Vila Bom Jardim (ponto de partida para os passeios) e nem da acomodação para os passeios. Desta forma, todos os deslocamentos devem ser feitos em carro próprio. Também perguntei sobre a necessidade de um carro alto e com 4×4 e a agência informou que não, um carro simples de passeio seria suficiente, e foi o que alugamos. Apesar de termos ido no período chuvoso não tivemos problemas, mas outros hóspedes da pousada nos disseram que, no dia que foram para a cachoeira da Serra Azul, viram carros mais baixos que não conseguiram passar pela lama. Mesmo assim, a grande maioria dos carros que vimos indo para os passeios, principalmente os de locação, era de passeio simples. Todavia, é algo a ser analisado quando for alugar o carro para ir na época da chuva.

Chegamos a Cuiabá, pegamos o carro que havíamos reservado na Movida do aeroporto e seguimos para a Vila Bom Jardim em Nobres, distante cerca de 140 km. Cometemos um erro ao inserir a localização no GPS e acabamos seguindo um caminho um pouco mais longo, passando por Rosário do Oeste, quando o correto seria por Rio Manso, economizando cerca de 40 km e com uma vista maravilhosa da Chapada dos Guimarães. Corrigimos o nosso erro na volta. Uma importante dica é viajar com o tanque de combustível cheio e evitar dirigir à noite, pois não encontramos nenhum posto de gasolina na estrada, apenas em Cuiabá e na Vila Bom Jardim.

Pegando a estrada!
Avistando a Chapada dos Guimarães

HOSPEDAGEM:

Tivemos muita sorte com a acomodação. Quando fomos reservar os passeios com o Uller, da agência Roma Turismo, ele tinha apenas um quarto livre na Pousada Rota das Águas, na Vila Bom Jardim. Fizemos uma busca no Booking e no Airbnb e não encontramos nenhuma outra tão legal quanto aquela e com disponibilidade, por isso decidimos reservá-la com a agência mesmo. E não nos arrependemos, pois a pousada é muito legal, com uma ótima localização (às margens da rodovia), quartos super confortáveis, ótimo serviço, um café da manhã legal e ainda demos sorte de conhecermos outros hóspedes bem legais! Recomendo muito!

Quarto da pousada. Super confortável! (créditos: Roma Turismo Nobres)
Área de convivência da pousada (créditos: Roma Turismo Nobres)
Curtindo a pousada

ALIMENTAÇÃO:

Na minha opinião, esse foi o único ponto negativo da viagem. Na Vila Bom Jardim, nas redondezas da pousada, existem alguns restaurantes que servem almoço, todos no esquema de buffet por quilo ou com valor fixo, em estabelecimentos simples, com comida caseira, mas pouco variada. Almoçamos em um deles, o Três Irmãos. A comida estava boa e o preço razoável, se comparado ao que encontramos nos outros lugares onde comemos: R$45,00 o quilo ou R$40,00 comendo à vontade. Todavia, todos fecham às 14:00.

À noite as opções são ainda mais reduzidas. Bem perto da pousada, quase em frente, têm dois locais para comer: Lukinhas e Chapolin. Fomos apenas no primeiro, que sempre estava cheio e cujo cardápio oferecia as famosas “porções” (Ex: filé com fritas, peixe com mandioca frita, entre outras) ou pizza. Escolhemos essa última opção, que estava gostosa, mas nada muito especial.

Além dessas opções, têm os restaurantes dos balneários, que também seguem a regra de buffet só até às 14:00 e, após isso, apenas porções. Comemos no Balneário Estivado uma porção de peixe empanado com batata frita (R$ 50,00), que estava bem gostosa e salvou nossa vida, pois chegamos de Cuiabá às 14:30 e não tinha mais onde comer “almoço”. Porém, tivemos que pagar para entrar no balneário e comer, como expliquei anteriormente. Também almoçamos no restaurante do Aquário Encantado com a opção de buffet livre por R$50,00 ou porções que estavam na faixa de R$55,00. Escolhemos o buffet, que estava bom, mas nada demais, de modo que achamos que o valor cobrado não era compatível com a qualidade. Achei meio absurdo eles não oferecerem a opção de buffet para as pessoas que reservaram os passeios após às 14:00, restando para esses, mesmo o que já haviam pago pelo almoço antecipadamente, apenas as porções.

Não esperávamos encontrar nada muito requintado, mas acreditávamos que encontraríamos restaurantes com comidas típicas, o que não encontramos. A única comida que achei mais diferente era, na verdade, uma “porção”: ventrecha de pacu, que é a costela do peixe empanada.

Eu achava que essa restrição seria pelo fato de a vila ser bem pequena e sem muita estrutura, mas tivemos a mesma dificuldade em Cuiabá no dia do nosso retorno. Tentamos almoçar em algum restaurante tradicional da região antes de ir para o aeroporto, mas todos fechavam entre 14:00 e 14:30, por isso optamos por almoçar no Shopping Estação, que, por sinal, tem ótimas opções, mas nada típico.

Bom, como puderam ver, conseguimos aproveitar bastante Nobres e o nosso carnaval “pandêmico” foi sem aglomeração, com atividades ao ar livre e muito contato com a natureza!

Até a próxima, pessoal!

Visualize o mapa com os locais que visitamos em Nobre no link abaixo:

https://www.google.com/maps/d/u/0/embed?mid=1HiAGC5Wlt6GooOFLp5HmD2LHYGMrRZyO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.