Semana Santa em Juqueí – litoral paulista

5-Panoramica de Juquei

Olá, pessoal,

Aproveitei a Semana Santa para dar um pulinho em São Paulo! A ideia era passar o feriado capital, mas recebi um convite irrecusável: ir para Juqueí (ou Juquehy), litoral norte de São Paulo. Não consigo dizer não para convites que envolvem praias, principalmente as que me são desconhecidas!

Peguei o voo da tarde da Avianca, saindo de Maceió e chegando a Guarulhos, onde peguei o Uber para a casa da minha amiga (região Sul de São Paulo). Para pegar esse transporte é preciso subir para o terminal de embarque, após sair do desembarque, já que lá que estão as placas de parada dos carros da Uber. Sai mais barato que o táxi comum, mas existem outras alternativas mais econômicas: Airport Bus Service(R$50 ou R$75 se comprar ida e volta); ônibus gratuito da Latam ou da Gol para Congonhas (a Avianca e a Azul não oferecem esse serviço) + táxi/Uber; ônibus para a estação de Tatuapé (pega do lado de fora do desembarque) + metrô, cujo valor total sai por R$10,25. Optei pelo Uber pela pressa, pois queria curtir o restinho da noite em São Paulo antes de cair para a praia! Mas, na volta, usei a opção de metrô + ônibus saindo do metrô Tatuapé.

Como falei em um post anterior, já fiz “algumas várias” visitas a São Paulo e conheci algumas baladinhas legais, mas queria ir a algum bar novo. Recebi boas recomendações do Trabuca Bar, na Vila Olímpia, por isso resolvi conferir. Logo que cheguei, vi que era bem badalado, pois a fila estava grande! A entrada para mulher custava R$45 ou R$90 com consumação. Já a masculina era R$70 ou R$150 com consumação. O lugar é lindo e estava bem cheio. Nesse dia estava tocando um dj acompanhado pelo Amon Lima, violinista da Família Lima! Foi um arraso! Ele mais cedo funciona como um bar com mesinhas e comidinhas e, ao final da noite, vira balada! O cardápio é “meio salgado”, a long neck de cerveja mais barata custa R$15.

1-Trabuca bar-01
Amon Lima arrasando no Trabuca Bar

 

O plano era pegar a estrada para a praia no dia seguinte ainda na madrugada, para evitar o trânsito do feriadão, mas não conseguimos acordar e só saímos às 7:30, resultado: 5 horas para percorrer uma distância de 160km até Juqueí. Ao menos, posso falar que já enfrentei o famoso trânsito de São Paulo (não quero outra experiência dessa não), hahaha!

Juqueí fica perto da famosa e badalada praia de Maresias, no litoral Norte do estado de São Paulo. Ela é um charme! Tem uma ótima infraestrutura, as ruas são bem arrumadinhas, têm mini-shoppings, bons restaurantes e ótimas opções de hospedagem, incluindo pousadas e hotéis em frente à praia com os pés na areia! É um balneário bem familiar e, como consequência de sua infraestrutura, é um local caro, principalmente para alimentação. Não tenho como falar sobre os preços da acomodação, pois fiquei na casa que meus amigos alugam.

Encontramos uma opção gostosa (inclusive com opções vegetarianas) e econômica para o almoço em um restaurante self-service no posto de gasolina da entrada da cidade (junto à “guarita”).

22 - Restaurante do posto de gasolina-01
Self service no posto de gasolina

Uma alternativa para lanches é a pracinha de food truck com algumas opções de sanduíches, hamburguer e temakis, por exemplo. Um pouco mais caro que o normal, mas mais em conta que as comidas dos restaurantes.

16 - Espaço de food truck-01
Pracinha de food truck

Em minha última noite, dei um rolé pela ruazinha das lojas e dos restaurantes e me encantei pela fachada do Restaurante Gulero e entrei para jantar. Não me arrependi mesmo! Além de ser um lugar lindo e super charmoso, tem ótimas opções no cardápio, que, apesar de caro, era mais em conta que os outros que vi no entorno. Comi um risoto de abóbora e saiu por R$50,00 com a taxa de serviço.

19 - Restaurante Gulero fachada-02
Fachada charmosa do restaurante Gulero
20 - Restaurante Gulero dentro-01
Detalhe da decoração do restaurante Gulero
21 - risoto restaurante Gulero-01
Risoto de abóbora do restaurante Gulero

No centrinho tem o Juquehy Shopping, que é uma graça, porém com preços salgadinhos. Tem lojas de decoração, roupas, calçados e acessórios, além de espaços para alimentação.

17 - Juquei Shopping-01
Juquehy Shopping
18 - Dentro do Juqueyshopping-01
Interior do Juquehy Shopping

No início da noite, eles montavam uma feirinha de artesanatos e bijuterias na rua dos restaurantes e lojas.

16 - feirinha de rua-01
Barraquinha da feirinha de artesanato

Juqueí é uma graça e bem legal, mas lógico que seu atrativo principal é a praia! E, mesmo sendo de Maceió, terra de praias lindas, fiquei encantada pelo litoral de Juqueí! A praia tem quase 4km de extensão com águas claras, mornas (pelo menos nesse feriado, mas meus amigos disseram que, normalmente, ela é mais fria) e com ondas (não muito grandes).

4-Praia de Juquei-01
Praia de Juqueí

O acesso se dá através de entradas em meio às maravilhosas casas e pousadas da beira mar. São 22 e todas sinalizadas com um pórtico.

3- Acesso à praia em Juquei-01
Pórtico da entrada 22 para a praia

A parte do começo, perto do rio Juqueí, é mais cheia de gente, principalmente famílias com crianças, acredito que pela facilidade de acesso, já que fica perto do centrinho, além de ter menos ondas. É onde ficam os equipamentos de lazer para aluguel, como pranchas de SUP, por exemplo.

8-praia-1-juquei-e1523094939685.jpg
Comecinho da praia de Juqueí
7-Aluguel de prancha Juquei-01
Equipamentos de lazer para aluguel

Aproveitei para dar uma remadinha de leve e pegar umas marolas. Para quem nunca praticou stand up paddle lá não é o melhor lugar por causa dessas ondulações, mas depois que passa essa parte, o mar fica ótimo para remar! E na saída ainda dá para fingir ser surfista pegando uma marolinha! hahah

15 - Pegando onda-01
“Surfando” na marola

Eu achei legal o suporte dos guarda vidas que ficam o tempo todo orientando o pessoal para não se afastar muito da praia e evitar a parte perigosa. É apito toda hora! Tinha ainda um trecho com um cercado proibindo o acesso, mas as pessoas não respeitam muito.

6-Area proibida praia de Juquei-01
Parte da praia com restrição ao acesso

Já o final, mais perto da entrada 22, é menos movimentado, mais procurado pelos surfistas, principalmente pelas ondas que, normalmente, são maiores.

8.1-galera na praia-01
Galera curtindo a praia no pico do surf (entrada 22)

Diferente das praias de Maceió, repleta de ambulantes que passam o tempo todo oferecendo seus produtos, em Juqueí existem carrinhos padronizados que vendem lanches e bebidas. Eles recolhem o lixo ao final do dia e a praia fica limpinha!

16- quiosque de praia-01
Carrinho de lanches e bebidas

Não fotografei, mas também vendem roupas de praia e brinquedos em verdadeiros shoppings ambulantes, é um carrinho com diversos produtos pendurados e que é puxado pelo vendedor pela areia. Deve ser um peso absurdo! Achei uma gracinha ainda uma lojinha de artesanato que fica em frente à praia. Super charmosinha!

9-Lojinha de artesanato-01
Lojinha de artesanato

 

 

A noite em Juqueí não é muito badalada, por isso fomos até Barra do Una, que fica a 15 minutos de distância. O local escolhido foi o Balneário Praia da Barra do Una, um lugarzinho super charmoso às margens do rio Una.

11- galera no balneario-01
Galera curtindo a baladinha no Balneário Barra do Una

Tocou uma banda do Rio de Janeiro que eu adoro: Samba de Santa Clara. Foi muito divertido! Mas é um lugar bem caro, tanto a entrada (paguei R$90), quanto os produtos do bar: R$9 a água, R$16 a long neck da cerveja, R$12 o refrigerante, R$48 a dose de Gin… Sugiro já ir bem abastecido! hahaha

12- Banda Santa Clara-01
Samba de Santa Clara no Balneário

Curti bastante os dois dias na praia! E o melhor é que, antes de voltar para Maceió, ainda deu para curtir a capital paulista!

Aos domingos, o intenso movimento de veículos da Avenida Paulista dá lugar às bicicletas, aos patins, aos corredores e às pessoas que vão passear, não só os paulistanos, mas muitos turistas.

23 - Avenida Paulista-01
Avenida Paulista em um domingo de sol!

Tem ainda a Ciclofaixa de Lazer Bradesco Seguros, um programa super organizado que permite que as pessoas, aos domingos das 7h às 16h, peguem bicicletas emprestadas gratuitamente e circulem por diversas áreas da cidade, as quais ficam isoladas e sinalizadas, com direito a uma pessoa com bandeirinha nos cruzamentos fazendo o “siga e pare”! Alguns mecânicos ficam circulando para salvar aqueles que tiveram algum problema com as magrelas. A ciclofaixa também é muito usada pelas pessoas com bikes próprias, além de corredores, patinadores e esqueitistas!

25 - Ciclofaixa-01
Ciclofaixa na Avenida Paulista

Curti o dia batendo perna por lá, carregando minha malinha. Passei pelas feirinhas, parei para prestigiar os artistas  de rua e encontrei meus amigos para almoçar e tomar um chopp em um boteco (Prainha Paulista).

26- Feirinha em frente ao MASP-01
Feirinha em frente ao Masp
26-Feira de antiguidades MASP-01
Artista de rua e Feira de Antiguidades no Masp
29 - Almoço Prainha Paulista-01
Massa caseira com polpetini do Boteco Prainha Paulista
28 - Prainha Paulista-01
Chopp com Fabi e Michel no Boteco Prainha Paulista

Apesar de ser domingo e feriado, todas as lojas estavam abertas. Finalizei o dia fazendo umas comprinhas no Top Center Shopping, relembrando os bons tempos de Liverpool com minha amiga Carina!

30 - comprinhas na Forever-01
Relembrando os bons tempos fazendo comprinhas com Carina

Bom, como viram, consegui aproveitar bastante o meu feriado da Semana Santa! Até a próxima pessoal!

OUTROS POSTS DE SÃO PAULO:

Dicas para relaxar na agitada cidade de São Paulo!

Fim de semana no friozinho de Campos do Jordão!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s