Conhecendo o paraíso: Ilhas Phi Phi!

Olá, pessoal!

Finalmente, após uma breve passagem por Phuket, Paty, Nath, Laís e eu chegamos ao paraíso na Tailândia: as Ilhas Phi Phi! Elas formam um arquipélago entre a Ilha de Phuket e o continente, em meio ao Oceano Índico. É considerado hoje um dos principais destinos dentre as ilhas do sul do país, principalmente, pela famosa praia de Maya Bay, que ficou mundialmente conhecida após o filme “A praia” com o ator Leonardo diCaprio. Em 2004 ela foi devastada por um tsunami. Estávamos lá exatamente no dia de aniversário de 13 anos da tragédia! Apesar de ainda ser possível ver alguns rastros da devastação, o centrinho já foi reconstruído e ficou lindo!

Fiquei impressionada com as belezas da região! Apesar de a nossa estadia ter durado apenas três dias, foram tantos lugares incríveis que conhecemos que um só post não será suficiente, por isso dividirei meus relatos em dois: um sobre os atrativos de Phi Phi e outro específico do passeio de barco que fizemos à Maya Bay.

Vista do primeiro contato com a praia de Loh Dalum em Phi Phi

Apresentarei Phi Phi começando pelas atrações turísticas que visitamos, em seguida, as festas, os detalhes do transfer, finalizando com a nossa hospedagem e os restaurantes que frequentamos.

PASSEIOS

  • Passeio de long tail pelas praias – em busca de um passeio mais livre e independente, alugamos um long tail, aquele barquinho que aparece nas fotos das praias tailandesas, para conhecer algumas praias.  Existem dezenas de agências na ilha vendendo pacotes de passeios para as praias, tanto de long tail, quanto de lancha, e o preço é tabelado, o que pode variar é na barganha. Mas preferimos ir até a praia Loh Dalum,  perto do nosso hotel, e negociar direto com o piloto do barco. Acabamos fechando um passeio de 4 horas de duração por 600 Bahts (R$60) para cada uma das quatro.
Praia de Loh Dalum com a maré sequinha na nossa saída para o passeio
Nosso long tail e nosso piloto

O nosso roteiro foi o seguinte:

  •    Bamboo Island – após quase uma hora de long tail, chegamos a essa ilha linda! É uma reserva natural e, por isso, para entrar é preciso pagar uma taxa de 400 Bahts. O nosso piloto disse que não tinha como parar na praia principal por causa do vento, por isso tivemos que andar uns 15 minutos até ela. No caminho tinham umas prainhas lindas e já fomos fotografando.
Visual de uma das prainhas da Bamboo Island
Eu posando em uma das prainhas da Bamboo Island
A combinação da areia branca, das rochas e do azul do mar da Bamboo Island

Quando, finalmente, chegamos à praia principal, ficamos impressionadas com a cor da água e com a paz que o lugar transmitia, apesar das lanchas de turistas. Não queríamos mais sair, mas, apesar de ser um passeio privado, nosso piloto era muito mandão e não nos deixava escolher quanto tempo ficaríamos nas praias. Depois entendemos, pois ele já calcula o tempo para visitar as praias escolhidas. Ficamos apenas meia horinha ali, mas foi suficiente para nos apaixonarmos pelo lugar!

Praia principal da Bamboo Island
  • Nui Bay – poucos minutos após sairmos de Bamboo Island, atracamos em Nui Bay. Como íamos mergulhar com snorkel, ficamos mais afastadas da praia. A cor da água era um verde de impressionar e o mergulho foi uma delícia! Muitos peixinhos lindos! Não sabíamos, mas no preço do passeio já estavam inclusos a máscara de mergulho e o snorkel, ou seja, nosso piloto é bem preparado!
Praia de Nui Bay ao fundo
A impressionante cor da água de Nui Bay (sem filtro)
  • Monkey Beach– nossa última parada foi em Monkey Beach, uma praia famosa pelos macaquinhos danados. É preciso tomar cuidado com os pertences, pois eles levam mesmo! Nosso piloto só nos deu 10 minutos para ficar na praia!
Praia de Monkey Beach

Apesar do piloto mandão, o passeio foi uma delícia! Cada lugar mais lindo que o outro! Recomendo muito para quem não está a fim de excursões em grupos grandes.

  • Caiaque para Monkey Beach – em nosso último dia em Phi Phi, Laís e eu acordamos cedo, fomos até a praia Loh Dalum e alugamos um caiaque duplo. Como tínhamos pouco tempo e também não estávamos dispostas a remar por horas, fomos só até a Monkey Beach, que fica a uns 15 minutos remando. Foi um passeio de menos de uma hora, mas que valeu muito a pena! O dia estava incrível e o mar, de águas verdes, estava bem transparente! O valor do aluguel do caiaque duplo foi 150 Bahts (R$15).
Remada para Monkey Beach
A dupla do caiaque
Olhem só a cor do mar!
Mergulho bom!
  • Mirante – bem perto do nosso hotel tem uma escadaria que vai dar em mirantes, de onde é possível obter vistas incríveis da ilha. Não é a única forma de se chegar até lá, pois tem ainda uma trilha, mas nossos amigos desavisados foram por esse caminho e se arrependeram, pois é bem mais longo e cansativo.  As escadas cansam, mas acaba sendo mais rápido. É cobrada uma taxa de 30Bahts (R$3) para entrar nos mirantes. Fomos no 1 e no 2 e ambos possuem vistas lindas.
Subida para o mirante

No primeiro, além do visual, tem o letreiro do “Eu amo Phi Phi”, onde é preciso ser rápido para tirar as fotos, pois todos querem posar ali!

Letreiro do “Eu amo Phi Phi” no alto do mirante
Ilha Phi Phi vista do alto

Subindo mais alguns degraus e uma ladeira, chegamos ao mirante 2, que é um deck de madeira, de onde é possível ver direitinho o centrinho com as duas praias (Ton Sai e Loh Dalum), sendo uma de cada lado.

O quarteto no topo do mirante com Phi Phi de fundo
Vista panorâmica de Phi Phi
Agora a minha vez de fotografar nesse lindo cenário

FESTAS

O centrinho de Phi Phi é repleto de barzinhos com músicas e todas as noites os bares da praia de Loh Dalum fazem festas na areia com direito a show de pirotecnia! Além disso, rola muita festa nos hostels também! Como era semana de Natal, a ilha estava lotada de jovens estrangeiros em busca de balada!

  • Pool party no Ibiza House– eu tinha visto nas postagens da Viajando com Gabi uma pool party no hostel Ibiza House e achei mega animada! Como ficava bem pertinho do nosso hotel, demos uma passada lá no fim de tarde para ver como era. A piscina fica de frente para a praia de Loh Dalum. Durante a tarde a entrada é gratuita. Da areia já podíamos observar a animação e, como era dia de Natal, várias pessoas vestiam gorrinhos de Papai Noel e várias bandeirinhas verde e vermelha faziam a decoração. Como não estávamos na mesma animação da galera da festa, entramos só para dar uma olhadinha e ficamos na areia curtindo o fim da tarde e a musiquinha!
Pool party no Ibiza House em pelo dia de Natal
  • Kongsiam Live Bar – esse foi nosso bar favorito em disparado! Foi nosso point todas as noites! Quem nos indicou foi a Gabi e o João, um casal de amigos que conhecemos no voo do Brasil para a Tailândia e que reencontramos em Phi Phi. Ele é bem pequeno e tem música ao vivo todas as noites. O repertório é dos melhores. Começávamos a noite lá curtindo a música e tomando nossos baldinhos, que saía bem em conta, pois estavam pela metade do preço!
Curtindo nossos baldinhos e a boa música com nossos novos amigos João e Gabi
  • Banana Bar – fica bem pertinho do Kongsiam e o lugar é bem legal. Rolam uns filmes no começo da noite e depois vira balada. Nos dois dias que fomos lá ele não estava tão cheio, por isso acabávamos ficando pouco tempo. Não cobram entrada, portanto vale a pena dar uma passada!
Banana Bar
  • Festas na praia – as noites em Phi Phi sempre acabavam na praia. Os bares colocam a música e a galera fica toda na areia. A concentração é maior em frente à pool party do Ibiza House, ao Slinky Bar e ao Stones Bar! Em meio à festa, surgem artistas fazendo malabares com fogo! A agitação termina em torno das 02:30 da manhã, quando, finalmente, a ilha dorme!
Nós curtindo a festa na praia
Show de pirotecnia em frente ao Stones Bar
  • Reaggae Bar – nos blogs de viagem ele é bem indicado, por isso fomos até lá garantir, mas acabamos desistindo de entrar, pois não parecia muito animado e tinha mais cara de lugar com showzinhos para turistas. Eles cobram entrada e o cardápio de bebida é meio carinho. Além disso, o estilo musical não tem nada a ver com o nome. Tem um ringue no meio do bar, onde acontecem “espetáculos” de Muay Thai, inclusive com a participação dos clientes.
Reaggae Bar

TRANSFER

Como falei acima, chegamos à Phi Phi de ferryboat desde o Rassada Pier em Phuket. A viagem durou um pouco menos de duas horas e custou 350 Bahts (R$35) para cada. Dentro do barco, a galera já estava no clima da ilha, por isso muitos ficaram no deck do barco, já se bronzeando, tomando uma bebidinha e interagindo com os demais. O ferry é bem confortável, tem a parte interna climatizada e as externas, incluindo o deck. Tem lanchonete e banheiros.

Ferryboat de Phuket para Phi Phi
Galera interagindo no deck do ferry
Parte interna climatizada do ferry
Lanchonete do ferry
Terra à vista! Phi Phi ao fundo!

Após quase duas horas, atracamos no pier Ton Sai, onde tivemos que pagar a taxa de entrada na ilha (40 Bahts – R$4). Um funcionário do nosso hotel estava lá nos esperando para carregar nossas bagagens até a acomodação! Foi o máximo, pois seriam cerca de 10 minutos puxando nossas malas que só ficavam mais pesadas durante a viagem!

Carregador de malas do nosso hotel

HOSPEDAGEM

Phi Phi é muito procurada por turistas do mundo todo, consequentemente, tudo lá é mais caro que no restante do país, principalmente a hospedagem. Queríamos um pouco de conforto e uma boa localização, com um bom custo benefício, por isso escolhemos o PP Casita, que é um hotel cheio de bangalôs, em pleno centrinho da ilha e bem perto da praia de Loh Dalum! Oferece café da manhã do tipo buffet, com direito à omelete feito na hora, e tem uma maravilhosa piscina! O atendimento é muito bom também! Adoramos! A diária do bangalô duplo saiu por cerca de R$300, com o café da manhã incluso. Uma dica muito boa é buscar a hospedagem no site agoda.com, é semelhante ao booking.com, mas com preços melhores.

Nosso quarto no bangalô do PP Casita
Bangalôs do PP Casita
Nosso bangalô no PP Casita

RESTAURANTES

O centrinho da ilha tem muitas opções de comida, desde barraquinhas de lanches, como restaurantes simples e outros mais sofisticados. Além disso, em quase todos lugares, você encontra pizza na vitrine para vender por fatia. E eram essas pizzas que nos salvavam à noite, pois, entre uma balada e outra, sempre comprávamos uma fatia para saciar a fome! Eram boas e baratas: 80Bahts (R$8)!

  • Himalaya – é um restaurante bem simples que fica em frente ao hotel onde nos hospedamos, o PP Casita. Estávamos famintas, por isso, comemos por lá. Pedi o arroz de camarão no abacaxi, que estava gostosinho, mas não era dos melhores. O prato saiu por 180Bahts (R$18).
Arroz de camarão no abacaxi do Himalaya
  • Italiano Bar & Restaurant- a ideia era almoçar no The Mango Garden, mas, chegando lá, vimos que era mais lanche e saladas e queríamos algo mais substancial. Olhamos para o lado e vimos um restaurante lindo e decidimos comer por lá mesmo. Como era italiano, não podíamos deixar de comer uma boa massa. Tava bem gostoso. É um restaurante mais caro que os demais, mas, como comida na Tailândia é muito em conta, ainda era barato para o padrão brasileiro. Meu macarrão saiu por 260 Bahts (R$26)!
Italiano Bar & Restaurante
  • Anna’s – esse restaurante foi indicado pela Gabi, nossa nova amiga, e foi lá que fizemos nosso almoço de despedida. O cardápio é variado, tem comida tailandesa e europeia. O restaurante estava cheio de brasileiros, acho que todos foram levados pelas indicações dos blogs. Comi um delicioso frango com purê e saladas (250 Bahts – R$25)! Adorei, pois lembrou um pouco o que como no Brasil e já estava sentindo falta das comidinhas de casa.

Bom, pessoal! Vocês viram que conseguimos fazer bastante coisa no pouco tempo que ficamos na ilha. Confesso, que não queria sair de lá. Ficaria mais uma semana facilmente, mas, ao mesmo tempo, não queria deixar de conhecer outros lugares da Tailândia! Vocês verão mais um pouquinho de Phi Phi no post seguinte sobre nossa aventura de dormir em um barco em Maya Bay! Confiram na próxima semana!

Até a próxima!

LEIA MAIS:

18 dias em terras tailandesas, começando pelos templos de Bangkok!

Comidas de rua, comprinhas e mais um pouco de Bangkok – Tailândia

Uma tarde em Ayutthaya, a antiga capital tailandesa

Templos, muay thai e compras em Chiang Mai – Tailândia

Cuidando de elefantes em Chiang Mai – Tailândia

Phuket – primeira parada no Sul da Tailândia

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s