O que fazer em um dia e meio em Railay Beach e Ao Nang- Tailândia?

Olá, pessoal!

Nas últimas publicações, venho mostrando para vocês minhas aventuras nos 18 dias que passei na Tailândia, de dezembro de 2017 a janeiro de 2018, com três amigas: Laís, Patrícia e Natália! Começamos pelo Norte do país, visitando templos e fazendo programas mais culturais e, em seguida, partimos para as ilhas do Sul, com suas paisagens maravilhosas e praias paradisíacas.

Neste post apresentarei as minhas impressões de Krabi, uma província ao Sul da Tailândia, banhada pelo Mar de Andaman, e cuja capital é a cidade de Krabi (Krabi Town). Como tínhamos apenas um dia e meio e queríamos aproveitar a praia e curtir o agito à noite, optamos por nos hospedar na praia de Ao Nang, que fica a 20km da capital da província e tem fácil e rápido acesso a Railay Beach, que faz parte da península de Ao Nang.

RAILAY BEACH

Na orla de Ao Nang tem um quiosque que vende as passagens (cooperativa de barcos) para a travessia de long tail para Railay Beach, saindo dali mesmo e pelo valor de 100Bahts (R$10) o trecho. É possível comprar um só trecho ou com o retorno, mas optamos para comprar a volta lá em Railay mesmo.

Vista da chegada à Railay Beach
  • West Railay  – foi na parte Oeste da praia que chegamos com o long tail. Ela é bem movimentada, tem a opção de alugar prancha de stand up e caiaque, e sua orla é ocupada por resorts com seus restaurantes voltados para aquele belo mar. Lá tem ainda o quiosque que vende os passeios de barco. Achamos movimentada demais, por isso resolvemos caminhar pela ilha e relaxar em outra praia, já que a intenção era estender a canga na areia e descansar! Mas o visual no fim de tarde nessa praia é belíssimo!
West Railay
Fim de tarde em West Railay
  • East Railay – fica do outro lado da praia onde atracamos e é um manguezal. Interessante que chegamos com a maré seca e saímos com ela cheia, de modo que presenciamos o local com duas paisagens diversas! No meio dela tem um píer flutuante.
East Railay com a maré seca
East Railay com a maré alta

Também existem resorts nesse lado da praia e escolhemos o restaurante de um deles, o Sunrise Tropical Resort, para almoçar. Escolhemos um Pad Thai, que estava gostoso, mas a porção era bem pequena, e custou 150 Bahts (R$15).

Almoço no Sunrise Tropical Resort em East Railay
  • Mirante – um pouco depois de East Railay , seguindo para Phranang, tem a subida para um mirante, mas sem estrutura alguma, é um barranco cheio de barro e de raízes de árvores. Confesso que não nos atraiu muito e queríamos aproveitar ao máximo a praia, por isso não subimos.
Subida para o mirante

O mirante, por ser a parte mais alta da praia, é o ponto de fuga em caso de tsunami, por isso diversas placas pelas praias orientam para ir para lá nessa situação. Vimos essas placas em diversas ilhas do sul da Tailândia, como em Phi Phi, por exemplo.

Placa de rota de fuga em caso de tsunami
  • Princess (Phranang) Cave – não me levem a mal, mas eu não podia deixar de relatar esse “templo” inusitado que fizeram dentro da caverna de Phranang. É um altar repleto de pênis de madeira! Isso mesmo! Uma placa assentada lá dentro conta que locais, pescadores e navegadores acreditavam que a Princesa da Caverna Phranang poderia preservar e proteger seus meios de subsistência e realizar os desejos de alguém. Quando seus desejos eram atendidos, eles deixavam oferendas na caverna, como flores e incensos. Mas, geralmente o espírito da deusa era presenteado com uma oferenda especial: pênis de madeira. Eles acreditavam que esses símbolos fálicos e as conchas do ventre santo simbolizavam a fertilidade e a prosperidade para o planeta e para a humanidade.
Altar rodeado por pênis em madeira
Oferendas para a Princesa da Caverna Phranang

Junto desse “templo” tem uma prainha super charmosa, perfeita para quem não quer pegar sol!

Praia na Caverna Phranang
  • Phranang – é uma praia belíssima que fica um pouco depois de Railay East. O banho é uma delícia e é um bom lugar para estirar a canga para tirar um cochilo ou se bronzear. Coloquei isso em prática!
Phranang beach
Lugar perfeito para estirar a canga para se bronzear ou cochilar sob as árvores

É possível ainda atravessar caminhando pela água (tem uma parte que fica rasinha) até uma imensa pedra no meio do mar (Ko Rang Nok).

 

Local para atravessar até Ko Rang Nok

Nessa praia ficam atracados alguns long tails (barcos) vendendo lanches e bebidas.

Long tails vendendo comes e bebes
  • Tonsai beach – voltamos caminhando até West Railay, onde tem uma trilha que vai até a praia de Tonsai após, aproximadamente, 20 minutos de caminhada, com algumas subidinhas. Dá para suar um pouco, mas não é nada impossível. Porém, tem que prestar atenção, pois não tem sinalização. Na volta, erramos uma parte do caminho e nos perdemos. Mas, foi rapidinho, voltamos e retomamos a rota.
Trilha para Tonsai Beach
Perdida na trilha!
Praia à vista!

Acredito que não seja a única forma de chegar até lá, já que vi uns barcos atracados e, pelo mapa, existem ruas que chegam lá por dentro, mas o caminho é muito mais longo. Quando chegamos lá, ela estava com pouca gente, o que criou lhe deu um charme especial!

Tonsai Beach
Caminhada na areia de Tonsai Beach

O mar fica parecendo um espelho d’água! Ficaria horas ali facilmente!

O espelho d’água do mar de Tonsai Beach

Tem um bar de praia, o Freedom Bar, com um deck com espreguiçadeiras, mas não vi nenhum movimento de garçons, por isso acredito que estivesse fechado.

Freedom Bar na praia de Tonsai

Logo ao lado do bar tem um paredão de pedra que as pessoas usam para praticar a escalada. Aliás, Railay é bastante procurada para essa prática, tanto por profissionais, quanto por amadores.

Galera escalando em paredão de pedra de Tonsai
  • Centrinho de Railay – entre as praia de West Railay e East Railay , tem um centrinho bem charmoso, com lojinhas, barracas de comida, bares e restaurantes. Tinha até um local com aula de culinária. É bem “roots”, sem calçamento (piso de terra), mas achei uma graça. Um barzinho me chamou a atenção: o Bob Marley Bar! Achei muito engraçado! Infelizmente, não tivemos tempo de curtir esse pedacinho da praia. Acho que Railay merece, pelo menos, um pernoite, mas ficaria, uns três dias, para curtir mais as praias também! Infelizmente, não tínhamos todo esse tempo, e teve que ser uma visita rápida mesmo!
Centrinho de Railay Beach
Bob Marley Bar

AO NANG

Escolhemos Ao Nang para nos hospedar por dois motivos: a facilidade de deslocamento para Railay Beach e a vida noturna. Nosso hostel era bem localizado, por isso, a maior parte do deslocamento foi a pé, principalmente, porque nos concentramos na via costeira, onde fica o Restaurante Aning, onde almoçamos (comida gostosa, mas pouca e relativamente cara), e as lojas onde fizemos mais comprinhas! O pôr do sol no calçadão é um dos atrativos do lugar.

Pôr do sol na orla de Ao Nang

Ficamos duas noites em Ao Nang e tivemos o reforço dos nossos amigos Gabi e João para curtir um pouco. Na primeira noite fomos para alguns bares e, na segunda, fizemos o Pub Crawl do Slumber Hostel. Ambas as noites acabaram no Chang Bar, logo embaixo do nosso hostel.

O “quarteto da balada” reunido novamente!
  • Roots Rock Reaggae Bar – fica em uma avenida transversal à via costeira, um pouquinho mais afastado do nosso hostel, mas dá para ir andando, e foi o que fizemos. Estava super movimentado e com uma música boa. Conseguimos uma mesinha na calçada e, juro que me senti como se estivesse em um boteco brasileiro! Achei o lugar bem agradável para sentar para tomar uma cervejinha e conversar com amigos.
Roots Rock Reggae bar

Na calçada do bar tem ainda show de fogos de impressionar! Ao final, eles chamam pessoas do bar para fazer parte do show. E não é que são vários os corajosos que se oferecem para brincar com fogo! Prefiro ficar só registrando o espetáculo mesmo!

  • Chang Bar – pelo que percebi nas duas noites que ficamos em Ao Nang, tudo termina no nosso vizinho, o Chang Bar! A entrada é gratuita e a música é bem animada! Fica cheio de turistas em busca de animação. Acredito que seja um dos bares que fecha mais tarde!
Chang Bar
  • Pub Crawl do Slumber Hostel – para quem não conhece, “pub crawl” é a expressão inglesa para “maratona de bares”, ou seja, um tipo de passeio que consiste em juntar um grupo para ir de bar em bar e, normalmente, termina em uma balada. É bastante comum nos principais destinos turísticos pelo mundo e, normalmente, é organizado por hostels com o objetivo de divertir seus hóspedes e proporcionar uma maior interação entre a galera. Vimos o anúncio do pub crawl do Slumber Party Hostel by Bodega, um famoso “party hostel” (hostel de balada) de Ao Nang, e nos interessamos. Ele custou 450 Bahts (R$45) e incluía uma camisa (nosso “abadá), um bucket (baldinho com bebida) no hostel (ponto de encontro), táxi para o primeiro bar e uns shots ao longo do evento.
Quarteto com o “abadá” do pub crawl

Quando chegamos ao ponto de encontro, o Slumber Hostel, ficamos impressionados com a quantidade de pessoas e com a animação da galera! Estava terminando um jantarzinho dos hóspedes e, logo a mesa de comida deu lugar aos equipamentos do dj e do tatuador! Isso mesmo! Do nada, surgiu um cara para tatuar os doidos! Tinha uma promoção: compre 3 bebidas e ganhe uma tatuagem! E o povo levou a sério! Uma doidinha resolveu tatuar o pé! Detalhe: não era hena e sim tatoo definitiva!

Compre 3 drinks e ganhe uma tatuagem!

A galera já saiu bastante animada do hostel para o primeiro bar, o Get Rads. Foram vários táxis, uma verdadeira frota, para levar aquele povo todo! Já fiz muitos pub crawls por onde passei, mas esse foi um dos maiores! Muita gente mesmo! Super animado, apesar de terem sido poucos bares, já que, depois da primeira parada, fomos andando para o Chang Bar, o último destino! Mas acredito que a galera, do jeito que estava, não aguentaria outro bar não!

Galera do pub crawl reunida no Get Rads

TRANFER

Chegamos a Ao Nang em um ferry, saindo de Phi Phi Don (cais Tonsai), após duas horas de viagem, cuja passagem custou 350 Bahts (R$35).

Filminho no ferry de Phi Phi para Krabi

Chegando ao Nopparat Thara Pier em Ao Nang, pegamos um transporte, semelhante a um caminhão pequeno, sendo que os passageiros vão sentados em bancos na boleia (parte posterior). O valor já estava incluso na passagem do ferry e eles deixam cada um em sua hospedagem.

2 - transfer do cais para o hostel-01
Transporte do cais para o Hostel

O nosso destino seguinte a Krabi era Ko Phanghan e, para chegar lá, contratamos um transfer através da recepcionista do hostel. Ele custou 550 Bahts (R$55), incluindo van e barco. Foi o maior deslocamento de todos e o mais cansativo, o que foi agravado pelo atraso de duas horas para a van chegar ao ponto de partida. Detalharei melhor no post seguinte, mas foram 8 horas e meia de viagem, diferente do que foi informado pela recepcionista do hostel, que disse que sairíamos às 9:00 e chegaríamos às 15:00, muito diferente da realidade!

Insatisfeitas com as duas horas de espera pela van para Ko Phanghan

HOSPEDAGEM

Ficamos hospedadas no Krabi Balcony Party Hostel, à beira mar de Ao Nang. É um hostel bem moderno, com ótima localização e em cima de um dos bares mais movimentados da orla de Ao Nang: o Chang Bar. Escolhemos dois quartos duplos privativos, os quais eram bem amplos, mas os banheiros eram compartilhados, o que não foi tão ruim, pois eram próximos aos nossos quartos, estavam sempre limpos e a quantidade era adequada para o número de hóspedes. A diária de cada quarto custou cerca de R$100, o que não incluía o café da manhã.

Corredor onde ficavam os nossos quartos no hostel, com o bloco de banheiros ao fundo
Banheiros da nossa ala no hostel
Cabine de banho

O bar do hostel é bem movimentado também e ficava bem perto dos nossos quartos. Sim, faz barulho! Mas só recomendo a hospedagem para os que pretendem curtir um pouco do agito da cidade e não pretendem dormir muito cedo. A música encerra por volta das 2 da manhã. No check in, eles dão umas cortesias para cada hóspede. Ganhamos um shot e um espetinho por noite. Mas, achamos um pouco alto o preço das bebidas, por isso, preferimos conhecer outros bares da região.

Bar do hostel
Drink no bar do hostel

A sacada do hostel, onde fica o bar, tem uma vista maravilhosa da praia e do pôr do sol! Vale a pena sentar para um drink no fim de tarde para admirar esse espetáculo da natureza.

Pôr do sol da sacada do bar do hostel

Valeu muito a pena ter incluído Krabi no roteiro, pois conseguimos nos divertir pela noite e conhecemos a incrível Railay Beach! Mas na próxima, ficarei só em Railay, relaxando e curtindo as praias! Bom, estão chegando ao fim os relatos de uma das melhores viagens da minha vida! O próximo post será o último sobre a Tailânida!

LEIA MAIS:

18 dias em terras tailandesas, começando pelos templos de Bangkok!

Comidas de rua, comprinhas e mais um pouco de Bangkok – Tailândia

Uma tarde em Ayutthaya, a antiga capital tailandesa

Templos, muay thai e compras em Chiang Mai – Tailândia

Cuidando de elefantes em Chiang Mai – Tailândia

Phuket – primeira parada no Sul da Tailândia

Conhecendo o paraíso: Ilhas Phi Phi!

Como é dormir em um barco em Maya Bay?

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s